Investigação

Unidades de Investigação

CIG - CENTRO DE INVESTIGAÇÃO GALLAECIA

IJP -INSTITUTO JURÍDICO PORTUCALENSE

INPP - INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO PORTUCALENSE

REMIT- RESEARCH ON ECONOMICS, MANAGEMENT AND INFORMATION TECHNOLOGIES

Política de Investigação

A Política de Investigação adotada pela Universidade Portucalense assenta num conjunto de princípios, valores e orientações modelados por uma visão de criação de valor da I&D para a sociedade.

Sendo a produção de conhecimento um dos elementos centrais da missão da UPT, o seu objetivo último é contribuir para o desenvolvimento da comunidade na qual a Universidade se insere, não só no domínio científico e tecnológico, mas também económico, social, cultural e ambiental.

Neste contexto, a aposta na investigação realizada na UPT é encarada como um investimento tendencialmente sustentável do ponto de vista financeiro. Isto significa que, sem descurar o esforço realizado pela própria instituição em termos do apoio à produção de conhecimento, a sua política de investigação aposta fortemente na captação de financiamento externo, tanto através de entidades nacionais e estrangeiras ligadas ao meio científico e tecnológico, como do desenvolvimento de projetos de interface com empresas e outras organizações, designadamente na esfera pública.

Centro de investigação em ciências jurídicas que tem como objetivo principal promover, apoiar e divulgar a investigação científica nessa área do saber produzida na Universidade Portucalense e nos Institutos Politécnicos de Leiria e de Lisboa, suas parceiras estratégicas, nomeadamente através do apoio institucional a projetos dos seus investigadores e de parcerias com unidades de investigação congéneres nacionais e estrangeiras.

Centro de investigação que que tem como objetivo principal produzir e disseminar conhecimento teórico e aplicado que possibilite uma maior compreensão das dinâmicas e tendências económicas, empresariais, territoriais e tecnológicas do mundo contemporâneo e dos seus efeitos socioeconómicos. O REMIT adota uma perspetiva multidisciplinar que integra vários domínios científicos: Economia e Gestão; Ciências e Tecnologia; Turismo, Património e Cultura.

O Instituto de Desenvolvimento Humano (INPP) da Universidade Portucalense consiste numa unidade de I&D multidisciplinar, criada em Setembro de 2015 com o intuito de produzir e disseminar conhecimento científico original no domínio do desenvolvimento humano. Desse modo, o Instituto encontra-se integrado na UPTi, responsável pela coordenação da Investigação na Universidade Portucalense, tendo por missão executar a política de investigação da UPT, colaborando também, neste domínio, na execução da política de internacionalização da instituição.

O Instituto apresenta uma estrutura abrangente e diversificada, pretendendo dar visibilidade à investigação produzida no departamento de Psicologia e Educação da Universidade Portucalense, promovendo a sua divulgação e estabelecendo parcerias com unidades de investigação congéneres nacionais e estrangeiras.

A par destas quatro unidades existe uma Comissão de Ética para a Saúde, um órgão da Universidade, multidisciplinar e independente, de natureza consultiva, que visa zelar pela observância e promoção de padrões de integridade, honestidade e qualidade nas atuações internas e externas das unidades que integram a UPT, bem como na conduta dos seus membros, em todas as atividades associadas à área da saúde.

Em termos organizacionais, as três unidades de investigação bem como a Comissão de Ética para a Saúde integram-se na Reitoria para a Investigação, sendo coordenadas pelo Senhor Reitor, Professor Doutor Fernando Ramos.

organograma_politica_investigacao_1

Comissão de Ética para a Saúde

A Comissão de Ética para a Saúde é um órgão da UPT, multidisciplinar e independente, de natureza consultiva, que visa zelar pela observância e promoção de padrões de integridade, honestidade e qualidade nas atuações internas e externas das unidades que integram a UPT, bem como na conduta dos seus membros, em todas as atividades associadas à área da saúde e em cumprimento do quadro legal definido no Decreto-Lei n.º 80/2018 de 15 de outubro.

Voltar ao topo