Como chegar
|
Contactos

Organizações Internacionais 2018/2019

  • 6 ECTS
  • Lecionada em Português
  • Avaliação Contínua

Objetivos

A unidade curricular pretende dotar o discente de conhecimento relevante sobre o universo das Organizações Internacionais no século XXI. No final do semestre o discente deverá ser capaz de:
1. Diferenciar as teorias que sustentam a arquitetura das Organizações Internacionais contemporâneas;
2. Identificar a tipologia e as funções/objetivos das Organizações Internacionais;
3. Analisar as áreas temáticas em torno das quais se criaram as Organizações Internacionais mais influentes;
4. Interpretar a questão da governança transnacional à escala regional e/ou à escola global;
5. Explicar o modus operandis das Organizações Internacionais;
6. Discutir a importância das Organizações Internacionais para as Relações Internacionais no século XXI.

Pré-Requisitos Recomendados

Recomenda-se ao alunos desta UC que tenham frequentado, com aproveitamento, as unidades curriculares de:
* Direito Internacional Público
* Teoria das Relações Internacionais

Método de Ensino

A unidade curricular contará com aulas de natureza teórica-prática. A exploração dos vários conteúdos programáticos será feita com recurso a debates moderados pelo docente, tendo em conta material bibliográfico previamente indicado. As aulas também contarão com momentos de prática profissionalizante, em contexto laboratorial.

Conteúdos Programáticos

I. A génese das Organizações Internacionais
a. Elementos para uma Teoria (holística) das Organizações Internacionais
b. Classificação multi-nível dos tipos de Organizações Internacionais
c. Objetivos das Organizações Internacionais
d. Funções das Organizações Internacionais
e. Visões sobre as Organizações Internacionais

II. Temáticas das Organizações Internacionais
a. Segurança Coletiva
b. Economia, Comércio e Desenvolvimento
c. Saúde Mundial
d. Proteção do Meio Ambiente
e. Regionalismo e Descentralização
f. Sociedade Civil

III. Laboratórios de Organizações Internacionais
a. Laboratório de Organizações Internacionais I: o caso da Organização do Tratado do Atlântico Norte
b. Laboratório de Organizações Internacionais II: o caso da Comunidade de Países de Língua Portuguesa
c. Conhecer membros das Organizações Internacionais

Bibliografia e Webgrafia Recomendada

* Archer, Clive, 2001. International Organizations. Nova Iorque: Routledge
* Armstrong, David, et. al., 2004. International Organisation in World Politics. Nova Iorque: Palgrave Macmillan
* Barkin, Samuel, 2006. International Organization: Theories and Institutions. Nova Iorque: Palgrave Macmillan
* Bennett, Alvin LeRoy e Oliver, James, 2002. International Organizations: Principles and Issues. Nova Jérsia: Prentice Hall.
* Emadi-Coffin, Barbara, 2002. Rethinking International Organization – Deregulation and Global Governance. Nova Iorque: Routledge
* Park, Susan, 2018. International Organisations and Global Problems: Theories and Explanations. Cambridge: Cambridge University Press

Bibliografia Complementar

* Barnett, Michael e Finnemore, Martha, 2004. Rules for the World: International Organizations in Global Politics. Nova Iorque: Cornell University Press
* Gutner, Tamar, 2016. International Organizations in World Politics. Washington: CQ Press
* Hurd, Ian, 2017. International Organizations: Politics, Law, Practice. Cambridge: Cambridge University Press
* Iriye, Akira, 2002. Global Community: The Role of International Organizations in the Making of the Contemporary World. Los Angeles: University of California Press
* Muldoon, James, 2004. The Architecture of Global Governance: An Introduction to the Study of International Organizations. Boulder: Westview Press
* Karns, Margaret, et. al., 2015. International Organizations: The Politics and Processes of Global Governance. Boulder: Lynne Rienner Publishers
* Reinalda, Bob, 2013. Routledge Handbook of International Organization. Nova Iorque: Routledge

Planificação Semanal

Semana 1: Apresentação do programa e introdução à temática
1.1. Apresentação do programa
1.2. Introdução ao estudo das Organizações Internacionais enquanto agentes políticos

Semana 2: Teoria das Organizações Internacionais
2.1. A dimensão política e a dimensão económica
2.2. A dialética entre setor público e setor privado
2.3. Integração da esfera doméstica e da esfera internacional
2.4. O papel dos burocratas internacionais
Semana 3: Classificação das Organizações Internacionais
3.1. Classificação quanto ao tipo de membros
3.2. Classificação quanto ao tema
3.3. Classificação quanto à estrutura
Semana 4: Objetivos e Funções das Organizações Internacionais
4.1. Objetivos das Organizações Internacionais
4.1.1. Objetivos enquanto Instrumento
4.1.2. Objetivos enquanto Arena
4.1.3. Objetivos enquanto Ator
4.2. Funções das Organizações Internacionais
4.2.1. Função de Articulação e Agregação
4.2.2. Função Normativa
4.2.3. Função Informativa
4.2.4. Função Operacional
4.2.5. Função de Socialização
4.2.6. Função de Recrutamento
Semana 5: Visões sobre as Organizações Internacionais
5.1. Visão Realista
5.2. Visão Reformista
5.3. Visão Radical

Semana 6: Esclarecimento de dúvidas e Teste

Semana 7: Segurança Coletiva
7.1. O papel central do Conselho de Segurança da ONU na arquitetura da segurança coletiva multilateral
7.1.1. A interligação com o Secretariado da ONU
7.2. Segurança coletiva à escala regional: o caso da OSCE
7.3. Segurança coletiva e política de blocos: a OTAN e a CSTO
Semana 8: Economia, Comércio e Desenvolvimento
8.1. O Fundo Monetário Internacional e a institucionalização da economia liberal
8.2. Os objetivos da Organização Mundial do Comércio
8.3. O importante trabalho da OCDE no espaço europeu
8.4. As funções e metas do Banco Mundial
8.5. As políticas desenvolvimentistas do PNUD e da UNCTAD
Semana 9: Saúde Mundial
9.1. O mandato da Organização Mundial de Saúde
9.2. Estrutura e funções da UNICEF e da UNAIDS
9.3. O dilema da Sáude: a transnacionalização de uma área de atuação estado-cêntrica
Semana 10: Protecção do Meio Ambiente
10.1. O estabelecimento do PNUA
10.2. Os objetivos e a estrutura do GEF
10.3. O papel da Comissão para o Desenvolvimento Sustentável
10.3.1. A complexidade crescente dos Acordos Multilaterais para o Meio Ambiente (MEAs)
Semana 11: Regionalismo e descentralização da Governança Global
11.1. Prós e contras do Regionalismo ao nível das Organizações Intergovernamentais
11.2. Organizações Internacionais, de escala regional, no âmbito da Carta da ONU
11.2.1. União Europeia
11.2.2. União Africana
11.2.3. Associação de Nações do Sudeste Asiático
11.2.4. Organizações de Estados Americanos
11.3. Organizações Internacionais Plurilaterais
Semana 12: Sociedade Civil
12.1. O impacto global das Corporações Multinacionais
12.2. A visibilidade crescente das Organizações Não-Governamentais
12.3. A ideia de Sociedade Civil Transnacional

Semana 13: Laboratório de Organizações Internacionais I: OTAN
Semana 14: Conhecer os profissionais/representantes das Organizações Internacionais
Semana 15: Laboratório de Organizações Internacionais II: CPLP

Coerência do programa para com os objetivos

O programa apresentado foi desenhado de modo a que todos objectivos pedagógicos possam ser alcançados. Neste sentido o primeiro e o segundo objetivos da u.c. serão alcançados com recurso aos conteúdos programáticos presentes na parte I (A génese das Organizações Internacionais) do programa proposto. O terceiro e quarto objetivos pedagógicos serão alcançados com os conteúdos programáticos presentes no ponto II (Temáticas das Organizações Internacionais) do programa. O quinto e sexto objetivos da u.c. serão alcançados com a realização das atividades propostas no ponto III (Laboratórios de Organizações Internacionais) do programa.

Coerência dos métodos de ensino para com os objetivos

O estudo das Organizações Internacionais é mais profícuo com recurso a uma combinação de três metodologias de ensino: 1.) aulas expositivas, nas quais os alunos terão contacto com a bibliografia relevante para a área científica; 2.) aulas abertas com a presença de representantes de Organizações Internacionais, de modo a expor os alunos à interligação entre o corpus teórico e a prática profissional; 3.) simulacros, em sala de aula, para testar e reforçar os conhecimentos apreendidos anteriormente.

competência genérica relevantedesenvolvida?avaliada?
Capacidade de adaptação a novas situações  
Capacidade de auto-critica e de auto-avaliação  
Capacidade de investigação Sim
Competência em língua estrangeira Sim
Comunicação oral e escritaSimSim
Conhecimento de outras culturas e costumes  
Preocupação com a qualidade  
Resolução de problemasSim 
Saber organizar, planear e gerirSim 
Trabalho em contexto internacionalSimSim
Valorização da diversidade e da multiculturalidade  
Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)