Como chegar
|
Contactos
Perguntas
Frequentes

Perguntas Frequentes

1. Onde posso fazer a candidatura aos cursos da Portucalense?

Privilegie o contacto não presencial, via e-mail ou telefone. No caso de necessidade de atendimento presencial proceda à marcação em http://marcacoes.upt.pt

A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso ou por via eletrónica aqui.

O Gabinete de Ingresso situa-se no 2º piso e está aberto de 2ª a 6ª feira das 9.30h às 12.30h e das 14.00h às 17.30h; em Julho e Setembro, à 3ª e 6ªfeira, encerra às 19h.

Contactos
ingresso@upt.pt
225 572 222/23
969 773 967
800 270 201 Nº VERDE

2. Que cursos de licenciatura (1º ciclo) há na Portucalense?

3. Quem pode candidatar-se?

a)      Titulares de um curso de ensino secundário, ou de habilitação legalmente equivalente, que realizaram, no ano em curso, ou nos últimos dois anos, os exames nacionais correspondentes às provas de ingresso exigidas para os diferentes cursos a que vão concorrer e ter obtido nessas provas uma classificação igual ou superior 95 pontos (escala de 0 a 200);

b)      Estudantes, com habilitação estrangeira;

c)      Estudantes titulares de cursos não portugueses legalmente equivalentes ao ensino secundário português;

d)      Os titulares de um Diploma de Especialização Tecnológica (DET), obtido após conclusão de um Curso de Especialização Tecnológica (CET), e os titulares de um diploma de técnico superior profissional (TESP), podem candidatar-se ao ensino superior através de uma candidatura por Concursos Especiais. A realização da candidatura está condicionada à realização dos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso exigidas para o ingresso no ciclo de estudos em causa e ter obtido, nessas provas, uma classificação igual ou superior 95 pontos (escala de 0 a 200);

e)      Titulares de outros cursos superiores;

f)       Estudantes aprovados nas provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos;

g)      Estudantes internacionais;

h)      Estudantes que pretendem fazer um Reingresso

i)        Estudantes que pretendem fazer uma mudança de par instituição/curso – ou seja transferir-se de outra instituição para o mesmo curso na Portucalense, ou mudar de curso (vindo da própria Portucalense ou de outra instituição).

4. Quais as provas de Ingresso necessárias?

a)      Titulares de um curso de ensino secundário, ou de habilitação legalmente equivalente, que realizaram, no ano em curso, ou nos últimos dois anos, os exames nacionais correspondentes às provas de ingresso exigidas para os diferentes cursos a que vão concorrer e ter obtido nessas provas uma classificação igual ou superior 95 pontos (escala de 0 a 200);

b)      Estudantes, com habilitação estrangeira;

c)      Estudantes titulares de cursos não portugueses legalmente equivalentes ao ensino secundário português;

d)      Os titulares de um Diploma de Especialização Tecnológica (DET), obtido após conclusão de um Curso de Especialização Tecnológica (CET), e os titulares de um diploma de técnico superior profissional (TESP), podem candidatar-se ao ensino superior através de uma candidatura por Concursos Especiais. A realização da candidatura está condicionada à realização dos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso exigidas para o ingresso no ciclo de estudos em causa e ter obtido, nessas provas, uma classificação igual ou superior 95 pontos (escala de 0 a 200);

e)      Titulares de outros cursos superiores;

f)       Estudantes aprovados nas provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos;

g)      Estudantes internacionais;

h)      Estudantes que pretendem fazer um Reingresso

i)        Estudantes que pretendem fazer uma mudança de par instituição/curso – ou seja transferir-se de outra instituição para o mesmo curso na Portucalense, ou mudar de curso (vindo da própria Portucalense ou de outra instituição).

5. É exigida uma classificação mínima nas provas de ingresso?

Sim. Só podem ser utilizados como provas de ingresso os exames em que seja obtida uma classificação igual ou superior a 95 pontos (escala de 0 a 200)

6. Qual é a validade dos Exames que são usados como provas de ingresso?

Os exames nacionais são válidos como provas de ingresso no ano da sua realização e nos dois anos seguintes.

7. Acabei o 12º ano; como me posso candidatar?

A candidatura aos cursos de Licenciatura na Universidade Portucalense é feita anualmente através do Concurso Institucional, Ingresso pela 1ª vez no 1º ciclo; consulte mais informação aqui.


Tem que preencher o formulário de candidatura. A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui.

É também necessária a seguinte documentação:

  1. documento de identificação; 
  2. fotografia recente; 
  3. original ou cópia autenticada da Ficha ENES ou em substituição, original ou cópia autenticada de certificado de habilitações de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, para titulares de cursos não portugueses. 

É também necessário o pagamento da candidatura no valor de 172 €.

8. Acabei o 12º ano; quando posso candidatar-me?

O período de candidaturas organiza-se em três fases; decorrendo a primeira fase de 1 de junho a 24 de julho; veja a restante calendarização aqui.

9. Acabei o 12º ano; É exigida uma classificação mínima na nota de candidatura?

Sim. Só podem concorrer a um determinado curso os estudantes cuja nota de candidatura a seja igual ou superior a 95 pontos (escala de 0 a 200)

10. Acabei o 12º ano; Como é calculada a Nota de Candidatura no concurso institucional?

A nota de candidatura é uma classificação na escala de 0 a 200, cujo resultado é arredondado às décimas, calculado de acordo com a seguinte fórmula:

Nota de Candidatura = (classificação do ensino secundário x 0.65) + (classificação da prova de ingresso x 0.35) - se for exigida uma prova de ingresso

Ou

Nota de Candidatura = (classificação do ensino secundário x 0.60) + (classificação da prova de ingresso1 x 0.20) + (classificação da prova de ingresso2 x 0.20) - se forem exigidas duas provas de ingresso

11. Sou titular de um curso estrangeiro, como posso candidatar-me?

Para os estudantes titulares de cursos não portugueses legalmente equivalentes ao ensino secundário português que não são abrangidos pelo estatuto do Estudante Internacional, as provas de ingresso podem ser substituídas por exames finais de disciplinas daqueles cursos, nos termos do disposto no artigo 20.º-A do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de Setembro, na sua redação atualizada pelo Decreto-Lei n.º 90/2008, de 30 de maio.

Consultar aqui informação sobre o Artigo 20.º-A: substituição de provas de ingresso por exames finais de cursos de ensino secundário não portugueses

12. Não tenho nacionalidade portuguesa, nem sou nacional de estado membro da EU, nem resido em Portugal há mais de 2 anos. Posso candidatar-me aos cursos do 1º ciclo?

Sim, desde que

  1.  seja titular de: uma qualificação que, no país em que foi obtida, lhes confira o direito de candidatura e ingresso no ensino superior desse país; ou um diploma do ensino secundário português ou de habilitação legalmente equivalente.
  2. Tenha obtido aproveitamento nos exames de acesso ao ensino superior para o curso a que se candidata (os exames nacionais do Ensino Superior de ingresso exigidas no país de origem ou o equivalente para os exames de admissão português).

Para estudantes brasileiros o acesso aos cursos de 1º ciclo é realizado com a classificação do ENEM. A escala de classificação portuguesa funciona de 0-200 e a do ENEM de 0-1000. Para efeitos de seriação, a conversão das classificações faz-se dividindo a nota obtida no ENEM por 5 (cinco).

Se o estudante não tiver realizado nenhum tipo de exame equivalente às provas de ingresso portuguesas, terá de fazer um exame, escrito ou oral, relativo à(s) disciplina(s) equivalente à(s) provas de ingresso, de acordo com Edital próprio.

13. Como me posso candidatar sendo Estudante Internacional?

  1.  Formulário de candidatura, devidamente preenchido, disponível no Gabinete de Ingresso da Universidade Portucalense e no Portal de Candidaturas
  2. Declaração, sob compromisso de honra, de que o candidato não tem nacionalidade portuguesa;
  3. Documento comprovativo da titularidade de uma qualificação que, no país em que foi obtida, lhe confira o direito de candidatura e ingresso no ensino superior desse país, bem como da respetiva classificação, fazendo prova da sua validação pela entidade competente desse país;

ou

Documento comprovativo da conclusão do ensino secundário português (Ficha ENES)

ou de habilitação legalmente equivalente, bem como das respetivas classificações obtidas;

  1.  Documento comprovativo da realização de provas julgadas de nível e conteúdo equivalente às prestadas pelos estudantes admitidos através do regime geral de acesso e ingresso, bem como da respetiva classificação nelas obtidas;
  2. Documento que ateste o nível de conhecimento da língua portuguesa ou inglesa, consoante a língua de ensino do curso a que se candidata;
  3. Cópia do passaporte ou de outro documento legalmente equivalente;
  4.  Fotografia recente;

 

Os documentos referidos nas alíneas c), d) e e), devem ser traduzidos para português, sempre que não forem emitidos em português, inglês, francês ou espanhol e visados pelo serviço consular ou apresentados com a aposição da Apostila de Haia , pela autoridade competente do Estado de onde é originário o documento.

Nos documentos estrangeiros referidos nas alíneas c) e d) tem de constar a escala de classificação usada.

Em fase de candidatura e por razões de simplicidade e celeridade do processo, podem ser aceites provas documentais não devidamente autenticadas, devendo a sua autenticidade ser verificada até à matrícula efetiva. Nos documentos estrangeiros referidos nas alíneas c) e d) tem de constar a escala de classificação usada.

14. Já sou titular de um Curso Superior; pretendo candidatar-me a outro curso, o que preciso de fazer?

Neste caso tem de fazer uma candidatura por Concursos Especiais. A primeira época de candidaturas é de 2 de março a 3 de julho, a 2ª época (vagas sobrantes) é de 16 de julho a 11 de setembro de acordo com calendário disponível aqui. Tem que preencher o formulário de candidatura, A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui. É também necessária a seguinte documentação:

  1.  Documento de identificação ou cartão do cidadão
  2. Fotografia a cores atualizada
  3. Curriculum Vitae detalhado, datado e assinado
  4. Original ou cópia autenticada do certificado de habilitações do curso de que é titular É também necessário o pagamento da candidatura no valor de 172€

 

Se desejar solicitar equivalências:

  1. Pedido de reconhecimento e creditação de competências, de acordo com regulamento em vigor (incluindo conteúdos programáticos e cargas horárias das disciplinas às quais se pretenda solicitar equivalência). É também necessário o pagamento do Pedido de Reconhecimento e creditação de competências no valor de 184€.
  2. Reconhecimento de equivalência de Unidades Curriculares (por ECTS): 7,70€

15. Já frequentei um curso numa outra instituição mas agora pretendo mudar para outro curso na Portucalense. Como posso fazê-lo?

Neste caso tem de fazer uma candidatura por Mudança Par Instituição/Curso, que deverá ser feita de acordo com calendário disponível aqui.

Antes de formalizar a candidatura tem que fazer um requerimento e entregá-lo no Gabinete de Ingresso a solicitar a Mudança de par instituição/curso . Aceda ao requerimento aqui.

Após deferimento, tem que preencher o formulário de candidatura. A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui.

É também necessária a seguinte documentação:

  1. Documento de identificação;
  2. fotografia a cores atualizada;
  3. original ou cópia autenticada do documento comprovativo da matrícula no estabelecimento de ensino de origem (com exceção dos candidatos da UPT); para os estudantes que se encontrem a frequentar o 1º ano, este documento deve explicitar o ano letivo de colocação no par instituição/curso;
  4. original ou cópia autenticada do documento comprovativo da realização dos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas para esse Par Instituição/Curso, para esse ano, com as respetivas classificações (ficha ENES); É também necessário o pagamento da candidatura no valor de 172 €.

 

Se desejar solicitar equivalências:

  1. pedido de reconhecimento e creditação de competências, de acordo com regulamento em vigor.
  2. Curriculum Vitae detalhado, datado e assinado

É também necessário o pagamento do Pedido de Reconhecimento e creditação de competências no valor de 184€.

Reconhecimento de equivalência de Unidades Curriculares (por ECTS): 7,70€

16. Tenho mais de 23 anos e não tenho nenhum curso do ensino secundário ou equivalente; posso ingressar na Portucalense?

Sim. Neste caso tem de fazer uma candidatura por Concursos Especiais – Maiores de 23. Antes de se poder candidatar tem que ter aprovação nas Provas para o Acesso ao Ensino Superior para Maiores de 23 Anos. Estas provas decorrem em três fases conforme calendário disponível aqui. Pode inscrever-se nas provas aqui. As provas têm um custo de 90 euros.

Após obter aprovação nas provas tem que preencher o formulário de candidatura. A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui, 1ª época de 17 de fevereiro a 24 de julho, 2ª época de 10 de agosto a 25 de setembro.

Consulte calendário aqui.

É também necessária a seguinte documentação:

  1. Documento de identificação;
  2. uma fotografia a cores atualizada;
  3. Curriculum Vitae detalhado, datado e assinado

O valor do pagamento da inscrição nas provas será deduzido no valor de candidatura.

17. Tenho mais de 23 anos e fiz provas para o Acesso ao Ensino Superior para Maiores de 23 Anos numa outra instituição; posso ingressar na Portucalense?

Sim. Neste caso tem de fazer uma candidatura por Concursos Especiais – Maiores de 23. A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui, 1ª época de 17 de fevereiro a 24 de julho, 2ª época de 10 de agosto a 25 de setembro.

Consulte calendário aqui.

É também necessária a seguinte documentação:

  1. Documento de identificação;
  2. uma fotografia a cores atualizada;
  3. Curriculum Vitae detalhado, datado e assinado;
  4. original ou cópia autenticada do certificado das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos;
  5. Informação sobre as provas (enunciado e outra informação que seja pertinente).
  6. Propina de candidatura: 172€

18. Já frequentei o curso na Portucalense e agora pretendo retomar os estudos. Como posso fazê-lo?

Neste caso tem de fazer uma candidatura por Reingresso, que deverá ser feita de acordo com calendário disponível aqui.

Antes de formalizar a candidatura tem que fazer um requerimento e entregá-lo no Gabinete de Ingresso a solicitar o reingresso. Aceda ao requerimento aqui.

Após deferimento, tem que preencher o formulário de candidatura. A candidatura pode ser feita presencialmente no Gabinete de Ingresso (no 2º piso) ou por via eletrónica aqui.

É também necessária a seguinte documentação:

  1. formulário de candidatura, devidamente preenchido;
  2. Documento de identificação;
  3. fotografia a cores atualizada;
  4. pedido de reconhecimento e creditação de competências, de acordo com regulamento em vigor, caso pretenda solicitar equivalências a outras competências que não as adquiridas no curso para o qual reingressa

 

 

19. Depois de fazer a inscrição ou a alteração da mesma o que devo fazer?

Validar o boletim de inscrição na Secretaria e posteriormente dirigir-se à tesouraria para assinar (ou atualizar) o respetivo contrato e efetuar o primeiro pagamento. Este ato é obrigatório pois só assim a inscrição fica efetiva. Neste documento encontra os valores a pagar ao longo do período letivo bem como os prazos para os mesmos.

20. A Portucalense tem algum tipo de bolsas para redução de propinas?

Sim; existem:

  1.  As Bolsas de Promoção da Qualidade:Para os estudantes que concluíram o ensino secundário com média final não inferior a dezasseis valores, sem recurso ao arredondamento, que se matriculem em cada um dos cursos do 1º ano do 1.º ciclo de estudos lecionados na UPT (atribuição de 2 bolsas ao 1º ano de cada curso, à média mais elevada).
  2. As Bolsas de Mérito Escolar: Os estudantes de cada ano letivo e de cada um dos cursos de 1.º e 2º ciclo de estudos lecionados na UPT, que estiveram matriculados na UPT no ano letivo anterior e que obtenham a classificação mínima de catorze valores, sem recurso ao arredondamento, no ano letivo imediatamente anterior (atribuição de 1 bolsa a cada um dos cursos de 1º e 2º ciclos de estudos, à média mais elevada. Para o 1º ciclo estão abrangidos os 2º, 3º e 4º anos. Para o 2º ciclo, unicamente o 1º ano).
  3. As Bolsas por Carência Económica e em Contrapartida de Prestação de Serviços, para estudantes com dificuldades financeiras; Constituem uma oportunidade de participar em atividades da UPT.

Todas as bolsas consistem na redução parcial da propina de frequência, ou ainda na atribuição de outros benefícios.

Para poder vir a beneficiar das bolsas b) e c) é necessária uma candidatura, de acordo com regulamento disponível Regulamento Atribuição de Bolsas de Estudo. O prazo decorre, normalmente, entre meados de Julho a fim de Setembro, de acordo com Edital disponibilizado na página da Ação Social.

Para além destas bolsas os estudantes podem também concorrer às bolsas da DGES. Mais informação aqui.

21. Que tipo de reduções e apoios existem?

Consulte os protocolos existentes em https://www.upt.pt/page.php?p=39 e os apoios em https://www.upt.pt/page.php?p=38

Para além das Bolsas descritas no nº 20 (Ingresso),

Existem Protocolos que a UPT realizou com vários sindicatos e associações profissionais que permitem o benefício de redução na inscrição e na propina para associados (ou mesmo cônjuges e filhos nalguns casos), de 5%.

Consulte aqui a Lista das instituições com protocolo.

Também apoiamos as famílias: A frequência de elementos do mesmo agregado familiar beneficia o segundo numa redução de propina de 20% e, a partir do 3º, numa redução de 40%. Para ex-estudantes e familiares (desde que comprovadamente façam parte do mesmo agregado familiar): 10% na inscrição e na frequência.

Apoio ao aluno: através do Gabinete de Apoio ao Aluno pode:

  • ter atendimento psicológico - O atendimento psicológico é exclusivo a alunos da Universidade Portucalense e de natureza pessoal, sendo que a sua marcação não pode ser feita por terceiros, para o fazer basta enviar a disponibilidade para o email gaa@upt.pt.
  • ter uma revisão de Curriculum Vitae - Para fazer a marcação de apoio e revisão ao CV basta enviar a disponibilidade para o email gaa@upt.pt, será acompanhado por um dos elementos do Gabinete de Apoio ao Aluno.
  • inscrever-se nas iniciativas promovidas pelo GAA - A inscrição nas atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Apoio ao Aluno são definidas particularmente, sendo que, o procedimento de inscrição é descrito no ato da divulgação das mesmas.

22. Para além do Seguro escolar obrigatório, oferecem mais alguns complementos?

SIM

O Seguro de Proteção Escolar, obrigatório, tem a seguinte Cobertura:

Acidentes pessoais escolar- Associadas à actividade escolar + Morte, Invalidez Permanente, Despesas de Tratamento, Responsabilidade Civil Aluno

 

Complementos oferecidos:

 

Cartão/seguro saúde Descontos na saúde
Morte Morte da pessoa responsável pelo pagamento das propinas (1)
Invalidez Permanente Invalidez Permanente da pessoa responsável pelo pagamento das propinas (1)
Desemprego Desemprego involuntário de trabalhadores por conta de outrém
Incapacidade temporária Trabalho Incapacidade temporária absoluta para o trabalho por doença ou acidente (Baixa)
Hospitalização Hospitalização para trabalhadores por conta própria
(1) Em caso de morte e/ou invalidez permanente do trabalhador estudante: aos beneficiários declarados ou aos herdeiros legais, em partes iguais (em caso de morte) e ao próprio aluno (em caso de invalidez)

23. Como trabalhador posso beneficiar de algum estatuto especial?

Sim; pode beneficiar de estatuto de trabalhador-estudante que deve requerer na secretaria académica, no momento da inscrição. Este estatuto permite-lhe usufruir de uma época especial de exames, de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor; para efeitos de avaliação nas unidades curriculares que considerem a assiduidade, os trabalhadores-estudantes não estão sujeitos a cumprir os 75% de presença nas aulas; poderão ter que realizar alguma prova/trabalho, em sua substituição, conforme o estabelecido pelo docente na ficha da unidade curricular. Consultar Regulamento Pedagógico

24. O que significa Creditação de Competências?

Creditação de Competências é o processo pelo qual se reconhecem competências que foram adquiridas quer em outros cursos (seja de grau ou não), quer por experiência profissional, traduzindo-se na atribuição de créditos ECTS a determinadas unidades curriculares do plano para o qual o estudante se candidata. Consultar mais informação no Regulamento do Reconhecimento e Creditação de Competências.

25. A Portucalense tem algum tipo de bolsas para redução de propinas?

Sim; existem:

  1.  As Bolsas de Promoção da Qualidade:Para os estudantes que concluíram o ensino secundário com média final não inferior a dezasseis valores, sem recurso ao arredondamento, que se matriculem em cada um dos cursos do 1º ano do 1.º ciclo de estudos lecionados na UPT (atribuição de 2 bolsas ao 1º ano de cada curso, à média mais elevada).
  2. As Bolsas de Mérito Escolar: Os estudantes de cada ano letivo e de cada um dos cursos de 1.º e 2º ciclo de estudos lecionados na UPT, que estiveram matriculados na UPT no ano letivo anterior e que obtenham a classificação mínima de catorze valores, sem recurso ao arredondamento, no ano letivo imediatamente anterior (atribuição de 1 bolsa a cada um dos cursos de 1º e 2º ciclos de estudos, à média mais elevada. Para o 1º ciclo estão abrangidos os 2º, 3º e 4º anos. Para o 2º ciclo, unicamente o 1º ano).
  3. As Bolsas por Carência Económica e em Contrapartida de Prestação de Serviços, para estudantes com dificuldades financeiras; Constituem uma oportunidade de participar em atividades da UPT.

Todas as bolsas consistem na redução parcial da propina de frequência, ou ainda na atribuição de outros benefícios.

Para poder vir a beneficiar das bolsas b) e c) é necessária uma candidatura, de acordo com regulamento disponível Regulamento Atribuição de Bolsas de Estudo. O prazo decorre, normalmente, entre meados de Julho a fim de Setembro, de acordo com Edital disponibilizado na página da Ação Social.

Para além destas bolsas os estudantes podem também concorrer às bolsas da DGES. Mais informação aqui.

26. Posso candidatar-me às Bolsas da DGES?

27. Como me posso inscrever no segundo semestre?

A inscrição no 2º semestre é presencial. O estudante deve dirigir-se à Secretaria Académica e solicitar a inscrição nas Unidades Curriculares do 2º Semestre que pretende frequentar e dirigir-se de seguida à tesouraria para atualização de contrato.

28. Onde posso ver o calendário de exames?

No site da UPT (https://siupt.upt.pt/system/page.php?p=1005) ou no SIUPT na opção Estudante>Calendários de avaliação. Ser-lhe-ão apresentados os calendários de avaliação das diferentes épocas.

29. Tenho que me inscrever nos exames?

Sim. É obrigatória e da responsabilidade do estudante a inscrição em exames.

30. Até que quando me posso inscrever nos exames?

Para exames da época normal e época de recurso, o estudante tem até vinte e quatro horas antes da hora prevista para a realização do exame para se inscrever. Os estudantes que reúnam condições para realizar exames em época especial, terão que aguardar a abertura do período das inscrições, que é afixado nos escaparates de todos os cursos da UPT e disponibilizado no SIUPT e em Secretaria Académica Virtual >Avisos>.

31. Quem pode usufruir de exames em épocas especiais?

Estudantes que usufruem de um estatuto previsto no {{regulamento_pedagogico}} em vigor.

32. Posso inscrever em exames fora do prazo de inscrições?

Não. A inscrição fora de prazo não é admitida e implica a proibição de o estudante realizar o exame e a anulação da prova caso a realize.

33. Como me posso inscrever nos exames?

Na pagina do estudante SIUPT na opção > estudante>inscrição em prova da época de recurso ou >inscrição em prova da época normal ou >inscrição em prova da época especial.

34. Tenho dois ou mais exames escritos no mesmo dia.

No caso uc’s de avaliação continua ou mista, o estudante deve no prazo de 15 dias úteis a contar da publicação do mapa de avaliação intercalar, fazer requerimento à Secretaria Académica a solicitar a remarcação da prova escrita da Unidade Curricular que não pertence ao semestre do ano curricular em que o estudante se encontra.

No caso uc’s de avaliação final, o estudante deve até 15 dias úteis antes do final do período letivo, fazer requerimento à Secretaria Académica a solicitar a remarcação de uma das provas escritas devendo comunicar qual a prova que pretende adiar.

No caso de duas provas escritas na época de recurso de exames, o estudante deve até 48 horas após a saída dos resultados da época normal de exames, fazer requerimento à Secretaria Académica a solicitar a remarcação de uma das provas escritas, devendo comunicar qual a prova que pretende adiar.

O direito à realização das provas sobrepostas fica condicionado à presença do estudante na prova anterior à qual se devia apresentar.

35. Tenho um exame escrito e um exame oral no mesmo dia.

Verificando-se sobreposição entre prova escrita, prova oral e prova prática, o estudante deve apresentar-se à prova escrita. Deve fazer requerimento à Secretaria Académica a solicitar o adiamento da prova Oral.

36. Como posso anular a inscrição em exames?

Na pagina do estudante SIUPT em estudante>informação de estudante>requerimentos>Anulação de inscrição no exame de unidade curricular.

37. Como me posso inscrever nas turmas?

Na pagina do estudante SIUPT em estudante>inscrição em turma.

38. Quando me posso inscrever nas turmas?

Logo que a opção acima fique disponível.

39. Como posso requerer o estatuto trabalhador estudante?

Na pagina do estudante SIUPT em estudante>informação de estudante>requerimentos>outros requerimentos.

Deve apresentar os documentos, de acordo situação de trabalho, constantes no Regulamento Administrativo em vigor. OS documentos são entregues presencialmente na Secretaria Académica, antes de efetuar o seu requerimento.

40. Como justifico as minhas faltas às Unidades Curriculares?

O estudante deve preencher um impresso próprio de justificação de faltas (disponível na Secretaria académica) para cada uma das Unidades Curriculares que faltou. A este deve anexar a respetiva justificação e entregar ao docente da Unidade Curricular.

41. Como justifico a minha falta a um elemento de avaliação de uma Unidade Curricular?

Na pagina do estudante SIUPT em estudante>informação de estudante>requerimentos>A Reitoria>.

Deve apresentar os documentos comprovativos da sua situação, de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor, antes de efetuar o seu requerimento.

42. Como posso contactar os docentes?

Na pagina do estudante SIUPT em estudante>horários>horário de atendimento.

43. É obrigatório frequentar todas as aulas?

Na pagina do estudante SIUPT deverá aceder à ficha da unidade curricular em estudante>informação de estudante>unidade curricular. Cada unidade curricular tem o seu regime de avaliação próprio.

44. Porque tenho os acessos ao SIUPT bloqueados? Como desbloqueio?

Existe algo de irregular na sua situação pedagógica e/ou financeira (plano financeiro não escolhido e/ou propinas por pagar). Regularize rapidamente valores vencidos se for o caso e/ou consulte o Portal do aluno ou ajuda junto da Secretaria e/ou Tesouraria.

45. Como fazer uma anulação ou suspensão da inscrição?

Poderá fazê-lo através do portal próprio para o efeito, de Requerimentos. O acesso faz-se através do portal do aluno.

46. Qual o preçário em vigor e prazo de pagamento das propinas?

Os preçários em vigor estão disponíveis no site da Universidade, em https://www.upt.pt/page.php?p=1184

47. Quanto custa a candidatura a um curso de licenciatura?

A candidatura tem um custo de 172 €.

48. Quanto custa a propina do 1º ano de um curso de licenciatura para um estudante que se inscreve pela 1ª vez?

Para frequentar um curso de licenciatura tem:

Fazer a matrícula que custa 320 €

Propina: anual: 3.839.75€ em setembro

Semestral: setembro e fevereiro 1.939.67€

Mensal: setembro a junho, 396.00€ ou setembro a julho, 359,90€

Consulte o preçário completo aqui

49. Qual a propina para os Estudantes Internacionais?

Para os cursos lecionados em português:

Candidatura: 172€;

Matrícula (ato único por curso): 320 €

Inscrição: 183€ (paga em fevereiro*)

Seguro escolar: 31€

Ou anual de 3.839,75 €

Consulte o preçário completo aqui.

* A isenção será aplicada em fevereiro caso o estudante apenas se inscreva no 2º semestre, no ano da matrícula

50. Que modalidades de Pagamento existem?

Preferencialmente através de referências MB. Cada aluno tem uma referência única, válida enquanto tiver inscrição ativa: 0000xxxxx. Onde xxxxx = nº de aluno. A entidade é 20740. Com esta referência poderá pagar até ao saldo que tiver em aberto na sua conta corrente. Complementarmente poderá utilizar os serviços da tesouraria na UPT.

51. A partir de que dia estão disponíveis as referências MB para pagamento das propinas?

Ficam disponíveis na SIBS a partir do 2º dia útil de cada mês (inclusive)

52. Quando faço uma transferência bancaria o que devo fazer?

Preferencialmente utilize referências MB para pagar as propinas. A associação à sua Conta Corrente é automática bem como o envio do respetivo recibo. Não obstante, se fizer uma transferência bancária, deve enviar um email para tesouraria@upt.pt (do email institucional do aluno) com os seguintes dados: nome e número do aluno, titular da conta bancaria e comprovativo digitalizado. Tenha em atenção que, administrativamente esta modalidade de pagamento pode demorar até 3 dias úteis a refletir-se na sua conta corrente.

53. Como recebo as faturas e os recibos?

As faturas são enviadas no inicio de cada mês (ou noutro período escolhido) para o endereço de email que forneceu. Os recibos são também processados dessa forma, mediante a boa cobrança.

54. Como posso saber o que tenho atualmente em débito na minha conta corrente?

Consulte o portal do aluno, no menu específico para o efeito.

55. Quais os prazos para pagamento das taxas e emolumentos diversos, inscrições, exames, etc?

O prazo é de 3 dias.

56. Que tipo de reduções e apoios existem?

Consulte os protocolos existentes em https://www.upt.pt/page.php?p=39 e os apoios em https://www.upt.pt/page.php?p=38

Para além das Bolsas descritas no nº 20 (Ingresso),

Existem Protocolos que a UPT realizou com vários sindicatos e associações profissionais que permitem o benefício de redução na inscrição e na propina para associados (ou mesmo cônjuges e filhos nalguns casos), de 5%.

Consulte aqui a Lista das instituições com protocolo.

Também apoiamos as famílias: A frequência de elementos do mesmo agregado familiar beneficia o segundo numa redução de propina de 20% e, a partir do 3º, numa redução de 40%. Para ex-estudantes e familiares (desde que comprovadamente façam parte do mesmo agregado familiar): 10% na inscrição e na frequência.

Apoio ao aluno: através do Gabinete de Apoio ao Aluno pode:

  • ter atendimento psicológico - O atendimento psicológico é exclusivo a alunos da Universidade Portucalense e de natureza pessoal, sendo que a sua marcação não pode ser feita por terceiros, para o fazer basta enviar a disponibilidade para o email gaa@upt.pt.
  • ter uma revisão de Curriculum Vitae - Para fazer a marcação de apoio e revisão ao CV basta enviar a disponibilidade para o email gaa@upt.pt, será acompanhado por um dos elementos do Gabinete de Apoio ao Aluno.
  • inscrever-se nas iniciativas promovidas pelo GAA - A inscrição nas atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Apoio ao Aluno são definidas particularmente, sendo que, o procedimento de inscrição é descrito no ato da divulgação das mesmas.

57. Para além do Seguro escolar obrigatório, oferecem mais alguns complementos?

SIM

O Seguro de Proteção Escolar, obrigatório, tem a seguinte Cobertura:

Acidentes pessoais escolar- Associadas à actividade escolar + Morte, Invalidez Permanente, Despesas de Tratamento, Responsabilidade Civil Aluno

 

Complementos oferecidos:

 

Cartão/seguro saúde Descontos na saúde
Morte Morte da pessoa responsável pelo pagamento das propinas (1)
Invalidez Permanente Invalidez Permanente da pessoa responsável pelo pagamento das propinas (1)
Desemprego Desemprego involuntário de trabalhadores por conta de outrém
Incapacidade temporária Trabalho Incapacidade temporária absoluta para o trabalho por doença ou acidente (Baixa)
Hospitalização Hospitalização para trabalhadores por conta própria
(1) Em caso de morte e/ou invalidez permanente do trabalhador estudante: aos beneficiários declarados ou aos herdeiros legais, em partes iguais (em caso de morte) e ao próprio aluno (em caso de invalidez)

58. Como me candidato a reduções e prazo para o fazer?

Tem até um mês após a inscrição para o fazer. Deverá fazê-lo através do portal próprio para o efeito, de Requerimentos. O acesso faz-se através do portal do aluno.

59. Quais são os prazos de candidatura para fazer mobilidade Erasmus?

As candidaturas a mobilidade SMS (estudos) e SMP (estágio) são abertas pelo coordenador institucional e publicitadas pelo GRI, no site da UPT e no Sistema de Difusão de Informação da UPT.

De uma forma global, o prazo de candidatura para as mobilidades a realizar no 1º semestre, no 2º semestre ou durante todo o ano decorrem até final de março;

Havendo vagas, poderá ser aberto um novo período de candidatura, para as mobilidades a realizar no 2º semestre. O prazo para candidatura decorrerá até fim de outubro.

60. Em que países podemos realizar a mobilidade Erasmus +?

Os países onde a mobilidade poderá decorrer, no âmbito do Erasmus +, são: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Roménia, Suécia, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, República Checa, Chipre e Malta.

Em condições particulares, países do programa fora da união europeia, podem participar aAntiga República Jugoslava da Macedónia, Islândia, Listenstaine, Noruega, Suíça, Turquia.

61. Se estiver a pensar fazer mobilidade, o que devo fazer para tomar uma decisão?

Deve recolher informação sobre a mobilidade, em geral. Consultar o Regulamento de Mobilidade de Estudantes em:http://www.uportu.pt/site-scripts/ver_servico.asp?id=28

Consultar o portal da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação) em http://www.proalv.pt/erasmusmais/documentacao/acao1.html#

Deve ainda consultar o Gabinete de Relações Internacionais para obter informação mais particular, como por exemplo: valores estimados de bolsa por destino, apoio financeiro dado pela UPT, contactos de colegas que já tenham realizado mobilidade.

Podem existir outros fatores determinantes para a escolha do país e universidade de destino: qualidade da instituição, custo de vida nesse país, possibilidade de receber bolsa de apoio à mobilidade, expectativas profissionais após o período de intercâmbio, etc.

Em http://ec.europa.eu/ploteus/ página do Ploteus, o estudante pode obter informação sobre sistemas educativos, custo de vida, alojamento, etc. Pode ainda fazer um estudo sobre a qualidade das instituições nos rankings internacionais e/ou europeus. Exemplos: Ranking THES –Times Higher Education Supplement- http://www.timeshighereducation.co.uk/world-university-rankings/2012-13/world-ranking/region/europe e Ranking Webometrics - http://www.webometrics.info/en/Europe/Portugal, entre outros.

A escolha é sempre do estudante por isso recomenda-se trabalho de casa procurando nos sites informação sobre as instituições parceiras e em caso de haver necessidade de informação adicional, poderá sempre consultar os folhetos informativos que os parceiros enviam anualmente para GRI e solicitar os contatos dos alunos erasmus inque já passaram por cá.

62. Qual a finalidade dos acordos bilaterais?

No âmbito do programa Erasmus+, as mobilidades realizam-se sustentadas em acordos bilaterais que são estabelecidos e validados todos os anos académicos. Estes acordos são assinados pela Coordenadora Institucional, depois de validados pelos Coordenadores Departamentais e pelo GRI e têm em conta os nossos cursos e áreas científicas de investigação e destinam-se unicamente a estudantes do curso para o qual a mobilidade foi pré-estabelecida.

63. Como posso conhecer as universidades de destino?

Deve consultar o website da UPT para conhecer as universidades com as quais existem acordos celebrados (Lista de Acordos Celebrados com outras Universidades), e que por isso, podem ser universidades de destino.

O estudante pode ainda:

  • consultar os sites das universidades parceiras, de forma a fazer uma escolha calculada;
  • consultar o plano de estudos disponibilizado pela universidade de destino de forma a verificar a compatibilidade de programas de estudo entre as duas instituições e a confirmar se a universidade tem um plano de estudos semelhante ao do curso em análise. A escolha deverá incidir, entre outros fatores, nas UC’s oferecidas pela universidade de destino;
  • procurar aconselhamento junto coordenador departamental Erasmus +(CDE);
  • aceder aos planos de estudos das universidades parceiras diretamente via Internet ou procurar no site da universidade parceira através das informações disponíveis nas faculdades e consultando os planos dos respetivos cursos, ou então, no site das relações internacionais/mobilidade da universidade parceira;
  • saber tudo sobre a língua de ensino nessa instituição e o que pode ser feito para ultrapassar as barreiras linguísticas que possam surgir.Depois de tentar conhecê-las através do website, de analisar os planos de estudo que pretende frequentar e de discutir as suas preferências com os coordenadores departamentais, tem que eleger três universidades por ordem de preferência

64. Como encontrar uma empresa que me acolha para fazer estágio (SMP)?

A empresapode ser sugerida pelo aluno ou encontrada pela UPT através das ofertas chegadas ao gabinete de relações internacionais ou das diligências feitas pelos coordenadores institucional, de departamento ou professores. Também é possível estagiar numa universidade.

65. Como manifesto a minha intenção de fazer a candidatura a mobilidade?

Tem quepreenchero boletim de candidatura, disponível no website;

66. Se me candidatar, de certeza que vou ser colocado em mobilidade?

Não. O Gabinete de Relações Internacionais (GRI) realiza a seriação dos candidatos. Em caso de existir mais candidatos do que vagas para a mesma universidade, os critérios de seleção serão:

Foram tidos em consideração nesta ordem, os seguintes critérios de seleção:

a) Distribuição do número de bolsas SMS (estudos) e SMP (estágios) pelos 4 departamentos tendo em conta os fluxos de mobilidade nos 3 últimos anos;

b) Maior número de ECTS realizados na UPT;

c) O ano que o estudante frequenta de acordo com a seguinte regra:

  • 1 º -aluno matriculado e inscrito no ano letivo presente;
  • 2 º - número de ects realizados, durante o percurso académico e até aos resultados da época de recurso do 1ª semestredo respetivo ano letivo;
  • 3 º -melhor média;

d) Em caso de desistências, dar-se-á preferência aos suplentes do mesmo curso;

e) Em caso de empate, dar-se-á preferência aos estudantes que nunca fizeram mobilidade;

f) Ter sido buddy com avaliação de desempenho positiva.Todos os candidatos serão contactados para estar presentes numa reunião com o GRI.

67. Como fico a conhecer as minhas hipóteses de colocação?

Nessa reunião para a qual será convocado, será informado sobre a colocação em mobilidade, ainda sob reserva e sujeita a confirmação posterior pela universidade de destino.Poderão ser feitos ajustes de colocação, tendo em conta, por exemplo,a colocação de um colega com quem pretende fazer a mobilidade.

68. Depois de colocado, o que devo fazer?

Nessa reunião é também dado o início do processo formal de mobilidade, através do preenchimento dedocumentos disponíveis on-line.

69. Que documentos são necessários parainstruir o processo de mobilidade SMS (estudos) ou deSMP (estágio)?

Ficha de estudante. Para preencher esta ficha, o estudante necessita dos seguintes documentos: cartão de contribuinte, cartão de cidadão ou bilhete de identidade, que deve fotocopiar e entregar;

Minuta de procuração. Para preencher este documento, o estudante necessita de cópia do BI do procurador e deve anexar o telefone de contacto do procurador;

Declaração de aceitação de bolsa. Para preencher este documento, o estudante necessita de cópia do NIB;

Foto

CESD-cartão europeu de seguro de doença (cópia) http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/informacoes+uteis/saude+em+viagem/cartaoeuropeudesegurodoenca.html

Learning Agreement, se vai fazer mobilidade para estudos. Junto receberá a Carta de Estudante Erasmus onde são definidos os direitos e deveres do estudante em mobilidade.

Training Agreement, se vai fazer mobilidade para estágio.Junto receberá o Compromisso de Qualidade para o estágio profissional que estabelece as funções e responsabilidades das partes envolvidas.

Documento de pré-Reconhecimento Académico/pré-Reconhecimento Académico_alterações.O estudante deverá consultar as regras e/ou informações específicas do curso,abaixo publicadas, e verificar se existem limitações quanto ao período de estudos que pode realizar no estrangeiro e ao nr. de ects previstos.

70. OLS -On-line Linguistic Support

No âmbito do Programa Erasmus+, a Comissão Europeia contratou um serviço online de apoio linguístico (Online Linguistic Support –OLS) destinado aos participantes em atividades de mobilidade de longa duração (i.e. mobilidades entre 2 e 12 meses).

No ano académico 2014-2015, os participantes em atividades de mobilidade de longa duração no âmbito da Ação-Chave 1 Ensino Superior que utilizem as línguas Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Espanhol ou Holandês como a língua principal de estudo ou trabalho podem usufruir do Online Linguistic Support –OLS.

Os participantes em atividades de mobilidade de longa duração no âmbito da Ação-Chave 1 Ensino Superior que necessitem de apoio linguístico numa outra língua oficial da EU podem ser apoiados por outros meios, nomeadamente através do financiamento atribuído os projetos na rubrica Organisational Support (OS).

O OLS consistirá no seguinte:

1º -Teste 1 de avaliação da competência linguística do estudante - antes do início da mobilidade

2º -Curso de língua - no início/durante a mobilidade

3º -Teste 2 de avaliação da competência linguística do estudante - no fim da mobilidade

O Teste 1 de avaliação da competência linguística é obrigatório para todos os estudantes que realizem atividades de mobilidade de longa duraçãocuja principal língua de estudo (SMS) ou de trabalho (SMT) seja uma das 6 línguas acima identificadas. O curso de língua é opcional, podendo ser atribuído pela instituição do estudante tendo por base no nível de competência linguística demonstrada pelo estudante no Teste 1 de avaliação.

Os testes de avaliação e os cursos de língua OLS não têm custos para os estudantes.

Mais informações em: http://www.proalv.pt/erasmusmais/acao-1/acao1-ensino-superior/2014-2015.html

As credenciais sãodespoletadas pelo GRI.

71. Quem me pode ajudar a preencher o learning/training agreement e o documentos de pré-reconhecimento académico?

Os Coordenadores Departamentais Erasmus.Deverá contactá-los usando os seguintes contactos:

Departamento de Psicologia e Educação - Isabel Miguel - erasmus+_dpe@upt.pt;

Departamento de Direito - Ana Clara Amorim - erasmus+_dd@upt.pt;

Departamento de Economia,Gestão - Mónica Azevedo - erasmus+_deg_gestao@upt.pt

Departamento de Ciência e Tecnologia - Isabel Seruca - erasmus+_dct@upt.pt

Departamento de Turismo Património e Cultura - Fátima Matos da Silva - erasmus+_dtpc@upt.pt

72. O meu plano de estudos na universidade de acolhimento pode ser alterado?

Após chegada à universidade de acolhimento, tem até 30 de novembro para realizar alterações ao learning agreement, usando para o efeito a segunda folha, de alterações, desse documento. As alterações carecem da aprovação do CDE da universidade de origem.

Tenha sempre em mente que o learning agreement/training agreement é um documento cujo original deve estar sempre na sua posse durante a mobilidade e que é o documento que confirma que é um aluno em mobilidade internacional.

73. Devo contactar a universidade de acolhimento antes de partir?

Sim, antes da partida, deve contactar a universidade de destino para clarificar os procedimentos necessários para efetivar a candidatura e obter outras informações relevantes, como por exemplo, a obtenção de alojamento, o curso de língua, o calendário escolar, etc.

Todos estes assuntos são da responsabilidade do aluno. Em caso de alguma dificuldade durante este processo, deve solicitar ajuda ao GRI.

Tenha em atenção que muitas vezes a candidatura é feita on-line e tem prazos pré-definidos que não podem ser ultrapassados sob pena da mobilidade não ser autorizada pela universidade de acolhimento.

74. Tenho que levar comigo algum documento?

Sim. Antes da partida, deve ir ao GRI levantar o learning agreement/training agreement, documento de pré-reconhecimento académico, assinados e carimbados, a declaração de chegada à universidade/empresa de destino e a declaração de estadia.

 

A declaração de chegada é preenchida pelo estudante e entregue no GRI da universidade de acolhimento ou na empresa e enviada depois de assinada e carimbada para a UPT por fax ou correio eletrónico, no momento de chegada do estudante. Aí constará a data de início de mobilidade.

A declaração de estadia é pelo estudante e entregue no GRI da universidade de acolhimento ou na empresa, no momento de partida do estudante; Aí constará a data de início e de fim da mobilidade que confirmarão o cumprimento do tempo de estadia para efeitos de pagamento da bolsa.

Se for viajar pela TAP, o estudante poderá solicitar no GRI uma declaração para levar mais bagagem sem custos acrescidos.

75. Vou ter algum seguro na universidade/empresa de acolhimento?

Sim, o seguro da UPT cobre os riscos inerentes às atividades de estudo ou estágio. Contudo, deverá com a ajuda do coordenador departamental averiguar se outro tipo de seguro é exigido pela instituição de acolhimento, que fica a cargo do aluno.

No caso de mobilidade por estágio é obrigatório um seguro de acidentes pessoais.

76. E quando regressar?

Quando regressar deve ir ao GRI entregar o seu certificado de estadia e ser-lhe-á pedido para preencher um inquérito de avaliação da mobilidade elaborado pela UPT.

Terá 15 dias para responder ao inquérito na plataforma Mobility Tool, para o qual será notificado por correio eletrónico.

77. Como vai ser feito o reconhecimento académico após o meu SMS?

A universidade de acolhimento emitirá um certificado final de avaliação (Transcript of Records) onde constarão as unidades curriculares aprovadas e não aprovadas, com referência ao número de créditos e nota obtidos.

Após a sua receção na UPT, cabe ao coordenador departamental emitir o documento de equivalência onde constarão o curso frequentado e o local, e as unidades curriculares às quais são dadas equivalências com referência ao número de créditos e nota final obtidos.

78. Como vai ser feito o reconhecimento académico após o meu SMP?

O tutor da empresa de acolhimento fará um relatório final onde constam a avaliação quantitativa, através de um questionário de escala e uma avaliação qualitativa onde são descritos o envolvimento e contribuição do estagiário nas diferentes fases do estágio. Por fim, consta também deste relatório uma avaliação sumária onde são evidenciados os pontos fortes e fracos revelados pelo estagiário.

O estudante tem que apresentar ao coordenador departamental um relatório técnico que será avaliado por uma comissão de avaliação depois de ser apresentado e defendido.

Todos estes componentes irão permitir fazer a avaliação quantitativa final. Será por ele emitido um documento de equivalência onde consta a identificação do estágio realizado (local, área científica), as unidades curriculares às quais são dadas equivalências, com referência ao número de créditos e à nota final obtidos. Este documento é entregue pelo coordenador departamental no gabinete de relações internacionais, que por sua vez envia para a secretaria académica com vista ao lançamento das notas por reconhecimento académico.

 

 

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)