Como chegar
|
Contactos

Centro de Investigação da UPT avaliado com Bom

Centro de Investigação da UPT avaliado com Bom

O Centro de Investigação REMIT (Research on Economics, Management and Information Technologies) da Universidade Portucalense foi classificado com a avaliação de Bom pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Fundado em 2017, o REMIT destaca-se pelo carácter multidisciplinar da investigação, produzindo e disseminando conhecimento científico original sobre mudanças e desafios sociais, com foco nas empresas e nos territórios.

“A nossa missão centra-se na realização de investigação de acordo com os padrões internacionais de excelência, enquadrada nos objetivos de desenvolvimento sustentável, sobre temas económicos, tecnológicos, sociais e culturais, interagindo com os diversos atores, como a academia, as empresas ou as entidades governamentais. Esta investigação traduz-se em publicações e formação avançada, orientadas para a criação de valor económico e social para as comunidades locais e a sociedade em geral”, explica Cristina Sousa, diretora do REMIT.

Esta unidade de investigação é constituída por 64 investigadores e está estruturada em cinco grupos de investigação: Inovação, Empreendedorismo e Dinâmicas Económicas; Estratégia e Competitividade; Território e Desenvolvimento; Finanças e Contabilidade; e Análise de Dados e Apoio à Decisão.

“Atualmente, estamos a desenvolver 29 projetos de investigação, dos quais nove têm financiamento externo, nacional e europeu, concedido através de concursos altamente competitivos. Estes projetos estão a ser apoiados numa extensa rede de parcerias, que inclui organizações académicas e não académicas. As parcerias internacionais têm vindo a crescer e hoje temos 45 parceiros em mais de 20 países”, revela Cristina Sousa.

Ao nível da produção científica, o crescimento é também muito significativo: “O número de publicações dos investigadores do REMIT, indexadas na SCOPUS ou Web of Science, mais do que duplicou no ano letivo 2018-2019, quando comparado com o triénio anterior. Este aumento reflete-se igualmente nas publicações em revistas de topo, já que atualmente 74% dos artigos são publicados em revistas do primeiro quartil”. 

Para Carlos Brito, Vice-reitor da Universidade Portucalense para a área da Investigação, a classificação agora atribuída pela FCT “reflete não só o reconhecimento da qualidade do trabalho até agora realizado, mas acima de tudo a confiança demonstrada em relação à estratégia de produção científica de excelência nas suas áreas de intervenção”.

A avaliação da FCT apoia-se na análise de relatórios, atividades e projetos estratégicos dos centros de investigação, assim como em contactos diretos com os investigadores e as instituições, resultando uma classificação que determina o volume de financiamento plurianual a atribuir até à avaliação seguinte.

 

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)