Como chegar
|
Contactos

Tânia Nogueira foi a melhor finalista

Tânia Nogueira foi a melhor finalista

Tânia Nogueira foi a aluna finalista no ano letivo anterior com a média mais elevada. Licenciou-se em Direito, atualmente é advogada estagiária e regressou à Universidade Portucalense para receber o Prémio da Brandzone.

Comunica UPT: Quais as razões que a levaram a escolher o curso de Direito?

Tânia Nogueira: O meu percurso académico é um pouco ‘sui generis’. Quando entrei para a licenciatura de Direito, era já licenciada em Biologia e mestre em Medicina Legal, e a iniciar um programa de Doutoramento ligado à Investigação Científica. Sentia, porém, que esse rumo não me realizava profissionalmente. O "bichinho" pelo Direito foi despertado quando fiz um Curso de Preparação para o Exame de Acesso à Polícia Judiciária, aqui na UPT, e aí comecei a pensar em dar uma volta de 180 graus à minha vida. E assim fiz. A UPT foi a escolha mais óbvia para mim, uma vez que já conhecia a Universidade e os professores.

Qual o segredo do seu sucesso académico?

Diria que começa por ir às aulas e estar com atenção. Depois é muito estudo, muita leitura, ler vários livros e dissecar em absoluto os manuais recomendados pelos professores. Raramente estudei por resumos; complementava o livro com os meus apontamentos das aulas, nomeadamente com exemplos dados pelos docentes.


Qual o balanço que faz da licenciatura de Direito?

A licenciatura em Direito está muito bem estruturada. Da parte dos professores, sentimos uma proximidade, uma inteira disponibilidade e uma enorme competência. Tenho ainda que salientar o facto de termos a disciplina de “Prática Judiciária”, que ajuda imenso e dá uma noção de como elaborar peças processuais, algo que grande parte das outras universidades não oferece, e que ao entrar no mundo do trabalho é fundamental. O balanço que faço é, por isso, muito positivo. Quando comecei a trabalhar percebi que tenho boas bases, que o conhecimento que adquiri é verdadeiramente essencial.

Quais as principais dificuldades e desafios que sentiu na entrada no mercado de trabalho?

O mundo do trabalho é muito diferente, na medida em que requer mais aptidões, não só ao nível do conhecimento, mas também a nível do relacionamento interpessoal. Não basta saber algo de Direito. Só quando entramos na realidade prática, temos a noção se esse caminho é o que se pretende para o resto da vida. Eu tive a sorte de me integrar numa Sociedade de Advogados incrível [Sociedade de Advogados Jorge Carneiro & Associados, SP, RL.], onde me sinto bem acolhida, ambientada, e, mais importante, sempre apoiada, e onde aprendo todos os dias. Portanto, posso dizer que os desafios estão sempre ligados a novas formas de vermos a mesma questão, pelo prisma que temos de defender até à necessidade de pensarmos “fora da caixa". Em relação às dificuldades, estão relacionadas com a gestão do trabalho que temos de fazer, para não falharmos os prazos estabelecidos.

Qual a aprendizagem que não esquece destes quatro anos na UPT?

Que nunca devemos desistir, que há sempre um novo sonho para abraçar e um caminho para seguir, que nunca é tarde para recomeçarmos quando não nos sentimos realizados e, que com a devida dedicação, tudo é possível. Levo aprendizagens de Direito, muitas, e de vida, muitas também, pelas pessoas que conheci, algumas delas que certamente levarei para a vida. 


Já pensou no que vai comprar com o prémio que ganhou?

Sim, aliás, já comecei a aumentar a minha biblioteca. As primeiras aquisições foram dois livros que já andava há muito tempo para comprar: “O Código de Processo Penal Anotado,” de Paulo Pinto de Albuquerque, e as “Lições de Direito Penal”, de Manuel Cavaleiro Ferreira. Quero ainda comprar o “Código de Processo Civil Anotado”, de Paulo Pimenta, António Geraldes e Luís Pires de Sousa, e ando à procura do Vol. III do “Código de Processo Civil Anotado” de José Lebre de Freitas e Armindo Ribeiro Mendes. Por isso, planeio gastar uma boa parte do dinheiro em livros que sempre quis comprar, mas que por razões económicas ficavam para segundo plano. 

 

Lema de vida: "Onde não há calma, não há raciocínio".
Livro que anda a ler: "A última porta antes da noite", de António Lobo Antunes.
Naturalidade: Fafe
Hobbies: Ginásio e Krav Maga
Um princípio de Direito: Pacta sunt servanda

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)