Como chegar
|
Contactos

O papel da autoestima no trabalho

O papel da autoestima no trabalho

As quebras de promessas e repreensões públicas são os principais abusos que os trabalhadores das empresas denunciam e que estão a afetar não só a sua autoestima, mas também a produtividade das empresas consultadas num estudo sobre autoestima, da Universidade Portucalense (UPT) após consulta a 240 pessoas de 12 empresas portuguesas.

As mulheres e os jovens trabalhadores são, de acordo com as conclusões do estudo, os mais afetados enquanto os homens portugueses tendem a desconsiderar mais facilmente estes comportamentos abusivos por parte dos seus superiores.  

“É claro o papel da autoestima dos colaboradores nesta questão dos comportamentos de supervisão abusiva porque um trabalhador que confie em si e nas suas capacidades tende a desvalorizar por completo comentários depreciativos dos seus supervisores”, revela a responsável do estudo, Daniela Silva, no âmbito da sua dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde na UPT.

Por outro lado, segundo a mesma fonte, a baixa autoestima e a falta de alternativas no mercado de trabalho são as principais razões que levam os trabalhadores a tolerar este tipo de comportamentos que afetam todas as dinâmicas orgânicas das empresas nacionais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)