Licenciatura em Informática

DURAÇÃO

3 anos

ECTS

180

VAGAS

48

REGIME

Diurno

CURSO

Licenciatura

COORDENADOR

Prof.ª Doutora Isabel Seruca

SINGULARIDADE DO CURSO

  • txt;
  • txt;
  • txt.

O curso de Informática tem como objetivo formar profissionais capazes de dominar o processo de conceção, desenvolvimento, instalação e manutenção de sistemas informáticos.

A solução informática é eficiente? É fiável? É fácil de usar? É segura? Tem o melhor desempenho? É suportada pelas mais modernas tecnologias? É a estas questões que os nossos licenciados em Informática sabem dar resposta, pois a licenciatura preocupa-se com o desenvolvimento de sistemas tecnológicos capazes de satisfazer as necessidades da sociedade.

 

Pretendes adquirir conhecimentos na área das tecnologias e desenvolver as tuas competências técnicas e humanas de modo a assegurares uma função de responsabilidade nas organizações do séc. XXI? És technology-oriented, tens gosto por aprender e explorar as novas tecnologias e de as aplicar em situações concretas? Então este é o teu curso. É ainda importante saberes que:

  • O curso de Informática do DCT tem uma elevada taxa de empregabilidade, potenciada pela forte articulação do curso com o tecido empresarial e a inclusão de um estágio curricular;
  • O nosso plano de curso segue as orientações de entidades de referência internacional em desenho curricular na área e está alinhado com as necessidades do mercado;
  • Acreditamos que a Informática não é só tecnologia; valorizamos também as competências comportamentais, nomeadamente a comunicação, o trabalho em equipa, a responsabilidade social e as competências empreendedoras, desde o 1º dia em que chegas à UPT;
  • Disponibilizamos uma oferta complementar ao plano de curso, e que inclui ciclos de seminários e workshops, participação em eventos tecnológicos e projetos internacionais;
  • Fomentamos um relacionamento de proximidade com o aluno, de forma a entender as suas necessidades e aspirações de carreira;
  • Ministramos ensino e formação reconhecidos há 30 anos, sendo os nossos licenciados e a sua colocação no mercado o melhor testemunho da nossa qualidade.
 

Os profissionais em Informática ocupam cargos em departamentos de Sistemas e Tecnologias de Informação de grandes empresas e em empresas de desenvolvimento de software, podendo, no início de carreira, exercer funções de:

  • Programador de aplicações informáticas (web, móveis, multimédia, etc.);
  • Engenheiro de software;
  • Software tester;
  • Consultor de integração de sistemas;
  • Administrador de Tecnologias de Informação;
  • Gestor de projetos informáticos.

Algumas Saídas Profissionais

Analista de Cibersegurança Industrial 

Analista de Software

Gestor da Unidade de Negócios Cloud Computing

Eng. Inform. respons. por comunicações unificadas e vídeos

Engenheiro de Software na área da energia

Engenheiro de Software Java

Especialista em Tecnologias de Informação

Game Designer

Software Tester

Web Developer

Webdesigner especialista em User Experience e User Interface

O 1º ciclo de estudos em Informática visa formar profissionais capazes de dominar o processo de conceção, desenvolvimento, instalação e manutenção de sistemas informáticos. Os estudantes são preparados para desenvolver sistemas tecnológicos capazes de satisfazer as necessidades da sociedade atual e das organizações, com recurso às mais modernas tecnologias. Assegura-se, assim, que os estudantes dominem em simultâneo as áreas de modelação de sistemas informáticos, de programação e de base de dados, de redes e de segurança.

O presente diploma confere a habilitação na Licenciatura em Informática.

MESTRADOS

Mestrado em Ciência de Dados

Mestrado em Informática:

  • Especialização em Engenharia de Software
  • Especialização em Sistemas de Informação
 
[ cursos não conferente de grau ]
SHORT MASTERS

Short Master em Ciência de Dados

 
FORMAÇÕES APLICADAS

Formação Aplicada em Dois Caminhos Uma Estratégia: Transformação Digital

1ºano

1º Semestre ECTS
Algoritmia e Programação
8
Arquiteturas e Sistemas Operativos
6
Competências Comportamentais
3
Matemática I
6
Organizações e Sistemas de Informação
6
2º Semestre ECTS
Fundamentos de Bases de Dados
6
Matemática II
6
Modelos Estatísticos
6
Programação Orientada a Objetos
6
Redes de Computadores
4
Sociedade da Informação e do Conhecimento
3

2ºano

1º Semestre ECTS
Desenvolvimento de Sistemas de Informação
6
Estruturas de Dados
6
Laboratórios de Programação
6
Linguagens e Tecnologias Web
6
Tecnologias de Base de Dados
6
2º Semestre ECTS
Algoritmia Aplicada
6
Engenharia de Software
6
Laboratório de Aplicações Multimédia
6
Segurança em Sistemas Informáticos
6
Sistemas Web
6

3ºano

1º Semestre ECTS
Empreendedorismo
5
Gestão de Projetos
6
Integração de Sistemas
6
Inteligência Artificial
6
Sistemas Distribuídos
6
2º Semestre ECTS
Desenvolvimento de Aplicações Móveis
6
Estágio
9
Laboratório de Análise de Dados
6
Opção I:
OP - Internet das Coisas
5
OP - Laboratório de Análise de Dados
5
OP - Visão por Computador
5

Nota: As UCs opcionais disponíveis serão definidas anualmente pela Direção do Departamento. Escolha apenas 2 UC’s opcionais.

O REMIT - Research on Economics, Management and Information Technologies, centro de investigação que tutela o Departamento de Ciência e Tecnologia, anualmente apresenta os projetos de investigação em curso nos quais se poderão inserir as dissertações de mestrado e os trabalhos de projeto.

Isabel Seruca

Coordenadora da Licenciatura em Informática

DCT/ Departamento de Ciência e Tecnologia

Licenciatura em Informática
(lic.informatica@upt.pt)

Isabel Seruca

Coordenadora da Licenciatura em Informática

DCT/ Departamento de Ciência e Tecnologia

Licenciatura em Informática
(lic.informatica@upt.pt)

Podem candidatar-se ao Curso de Licenciatura em Informática da UPT através do Concurso Institucional, os titulares de curso de ensino secundário Português, que aprovaram um dos seguintes exames nacionais:

  • Matemática A ou
  • Matemática A e Física e Química

Cálculo da nota de acesso

  • 65% da nota de Ensino do Secundário
  • 35% da nota da Provas de Ingresso

Código
2500/9185

Ingresso pela 1ª vez no 1º Ciclo

1ª Fase Início Fim
Candidatura à 1ª fase
7 de junho
22 de julho
Afixação dos resultados
27 de julho
Reclamações
27 de julho
28 de julho
Matriculas e inscrições
27 de julho
5 de agosto
2ª Fase (Vagas Sobrantes) Início Fim
Candidatura à 2ª fase
4 de agosto
31 de agosto
Afixação dos resultados
5 de setembro
Reclamações
5 de setembro
6 de setembro
Matriculas e inscrições
5 de setembro
12 de setembro
3ª Fase (Vagas Sobrantes) Início Fim
Candidatura à 3ª fase
13 de setembro
30 de setembro
Afixação dos resultados
4 de outubro
Reclamações
4 de outubro
6 de outubro
Matriculas e inscrições
4 de outubro
7 de outubro

  1.  Ser titular de um curso de ensino secundário, ou de habilitação legalmente equivalente;
  2. Realizar, no ano em curso, ou ter realizado nos últimos dois anos, os exames nacionais correspondentes às provas de ingresso  exigidas para os diferentes cursos a que vai concorrer e ter obtido nessas provas uma classificação igual ou superior à classificação mínima fixada;

Geometria Descritiva ou História da Cultura e Artes ou Matemática
Português ou História ou Geografia
Matemática A ou Matemática A e Economia ou Matemática A e Português
História ou Geografia ou Português 
Física e Química e Matemática A
Matemática A ou Matemática A e Física e Química ou Matemática A e Português
Economia ou Português ou Matemática
Economia ou Português ou Matemática
Economia ou Português ou Matemática Aplicada às Ciências Sociais
Desenho ou Geometria Descritiva ou Matemática
Geografia ou História ou Português
Português ou História ou Inglês
Matemática ou Economia
Português ou História ou Economia
Português ou Geografia ou Economia
Geometria Descritiva ou
História da Cultura e Artes ou
Matemática
Português ou
História ou
Geografia
Matemática A ou
Matemática A e Economia ou
Matemática A e Português
História ou
Geografia ou
Português 
Física e Química e Matemática A
Matemática A ou
Matemática A e Física e Química ou
Matemática A e Português
Economia ou
Português ou
Matemática
Economia ou
Português ou
Matemática
Economia ou
Português ou
Matemática Aplicada às Ciências Sociais
Desenho ou
Geometria Descritiva ou
Matemática
Geografia ou
História ou
Português
Português ou
História ou
Inglês
Matemática ou
Economia
Português ou
História ou
Economia
Português ou
Geografia ou
Economia

  1. formulário de candidatura, devidamente preenchido;
  2. documento de identificação;
  3. fotografia recente;
  4. original ou cópia autenticada da Ficha ENES

A nota de candidatura é uma classificação na escala de 0 a 200, cujo resultado é arredondado às décimas.

Nota de Candidatura = (classificação do ensino secundário x 0.65) + (classificação da prova de ingresso x 0.35) - se for exigida uma prova de ingresso

Ou

Nota de Candidatura = (classificação do ensino secundário x 0.60) + (classificação da prova de ingresso1 x 0.20) + (classificação da prova de ingresso2 x 0.20) - se forem exigidas duas provas de ingresso

Para os estudantes titulares de cursos não portugueses legalmente equivalentes ao ensino secundário português, as provas de ingresso podem ser substituídas por exames finais de disciplinas daqueles cursos, nos termos do disposto no artigo 20.º-A do Decreto-Lei n.º 296-A/98, de 25 de setembro, na sua redação atualizada pelo Decreto-Lei n.º 90/2008, de 30 de maio. Mais Informações

Os candidatos que pretendam substituir as provas de ingresso por exames finais de disciplinas de cursos não portugueses legalmente equivalentes aos cursos do ensino secundário português, devem entregar, no ato da candidatura, os seguintes documentos:

  1. Requerimento em impresso de modelo a fixar pelo diretor-geral do ensino superior, solicitando a aplicação do regime consignado no artigo 20.º -A do Decreto -Lei n.º 296 -A/98, indicando quais os pares instituição/curso e provas de ingresso a abranger por tal aplicação; ver informação aqui.
  2. Documento comprovativo da titularidade do curso do ensino secundário não português indicando:
    1. A classificação final desse curso;
    2. As classificações obtidas nos exames das disciplinas desse curso que pretendem que substituam as provas de ingresso;
  3. Documento comprovativo da equivalência do curso referido na alínea 2) a um curso do secundário português, emitido pela autoridade legalmente competente para a atribuição da equivalência, incluindo a classificação final do curso.

Os documentos referidos na alínea 2) anterior devem:

  1. Ser emitidos pelas autoridades de educação do país de origem, mesmo tratando -se de habilitações obtidas em escolas estrangeiras em Portugal;
  2. Ser autenticados pelos serviços oficiais de educação do respetivo país e reconhecidos pela autoridade diplomática ou consular portuguesa, ou trazer a apostilha da Convenção de Haia. O mesmo deve acontecer relativamente às traduções de documentos cuja língua original não seja a espanhola, a francesa ou a inglesa.

1ª Fase
Apresentação das Candidaturas
1 de março a 1 de julho
Afixação dos resultados
14 de julho
Reclamações
14 a 15 de julho
Matriculas e inscrições
27 de julho a 5 de agosto
2ª fase (vagas sobrantes)
Apresentação das Candidaturas
18 de julho a 9 de setembro
Afixação dos resultados
23 de setembro
Reclamações
23 a 26 de setembro
Matriculas e inscrições
26 de setembro a 7 de outubro
3ª fase (vagas sobrantes)
Apresentação das Candidaturas
23 de setembro a 7 de outubro
Afixação dos resultados
20 de outubro
Reclamações
20 a 21 de outubro
Matriculas e inscrições
21 a 31 de outubro

Os titulares de um Curso Superior podem candidatar-se a um outro curso, através de uma candidatura por Concursos Especiais.

  1. Documento de  identificação ou cartão do cidadão;
  2. Fotografia tipo passe;
  3. Original ou cópia autenticada do certificado de habilitações do curso de que é titular;
  4. Pedido de reconhecimento e creditação de competências (requerimento), de acordo com regulamento em vigor (incluindo conteúdos programáticos e cargas horárias das disciplinas às quais se pretenda solicitar equivalência e certificado discriminativo com as classificações obtidas)
  5. Curriculum Vitae detalhado, devidamente datado e assinado.

1ª Fase
Inscrição para as provas
22 de março a 9 de junho
Sessão de Preparação
20 de junho (18.30h)
Prova escrita
28 de junho (18.30h)
Entrevista
Até 30 de junho
Resultados
5 de julho
Reclamações
5 e 6 de julho
2ª Fase
Inscrição para as provas
22 de julho a 31 de agosto
Sessão de Preparação
6 de setembro (18.30h)
Prova escrita
13 de setembro (18.30h)
Entrevista
Até 15 de setembro
Resultados
19 de setembro
Reclamações
19 e 20 de setembro
3ª Fase
Inscrição para as provas
12 de setembro a 16 de setembro
Sessão de Preparação
20 de setembro (18.30h)
Prova escrita
26 de setembro (18.30h)
Entrevista
Até 28 de setembro
Resultados
30 de setembro
Reclamações
30 de setembro

Taxa de Inscrição: 90,00 €

Só serão consideradas as inscrições em provas, para as quais tiver sido feito o respetivo pagamento.

  • Certificado de Habilitações
  • Curriculum Vitae atualizado, datado e assinado, com a indicação do seu percurso escolar e profissional (dois exemplares). Modelo de Curriculum Vitae
  • Documento de identificação
  • Fotografia recente

Os documentos poderão ser enviados: por correio tradicional, dirigido ao Gabinete de Ingresso, por correio eletrónico para ingresso@upt.pt, ou entregues no Gabinete de Ingresso.

 

  1. Cheque: emitido à ordem da Universidade Portucalense, CRL, fazendo-se acompanhar da identificação do remetente. Morada: Rua Dr António Bernardino de Almeida, nº 541. 4200-072 Porto
  2. Na tesouraria da Universidade

O valor do pagamento da inscrição nas provas será deduzido no valor de candidatura, para quem efetivar a candidatura nos prazos indicados.

1ª Fase
Candidatura à 1º fase
22 de março a 18 de julho
Afixação dos resultados
22 de julho
Reclamações
22 a 25 de julho
Matriculas e Inscrições
23 a 30 de setembro
2ª Fase
Candidatura à 2º fase
25 de julho a 20 de setembro
Afixação dos resultados
22 de setembro
Reclamações
22 a 23 de setembro
Matriculas e Inscrições
23 a 30 de setembro
3ª Fase
Candidatura à 3º fase
3 de outubro a 7 de outubro
Afixação dos resultados
11 de outubro
Reclamações
11 a 12 de outubro
Matriculas e Inscrições
12 a 16 de outubro

  1. Pedido de reconhecimento e creditação de competências, de acordo com regulamento em vigor (caso pretenda solicitar equivalências).

E ainda, para candidatos que não tenham realizado as provas na Portucalense:

  1. Documento de identificação ou cartão do cidadão;
  2. Uma fotografia a cores atualizada;
  3. Original ou cópia autenticada do certificado das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos
  4. Informação sobre as provas (enunciado e outra informação que seja pertinente).

Reingresso/Mudança de Par Instituição/Curso

Nota: De acordo com a nova Portaria nº 181-D/2015 de 19 de junho, a mudança de curso e transferência foi substituída por um único regime denominado “mudança de par instituição/curso”.

Não é permitida a mudança de par instituição/curso no ano letivo em que o estudante tenha sido colocado em par instituição/curso de ensino superior ao abrigo de qualquer regime de acesso e ingresso e se tenha matriculado e inscrito.

A mudança de par instituição/curso e o reingresso são requeridos à Direção dos Serviços de Ingresso e Apoio ao Estudante,  em modelo próprio.

Calendário 2022/2023

1ª Época
Apresentação das Candidaturas
1 de março a 1 de julho
Afixação dos resultados
14 de julho
Reclamações
14 a 15 de julho
Matriculas e Inscrições
27 de julho a 5 de agosto
2ª Época (vagas sobrantes)
Apresentação das Candidaturas
18 de julho a 9 de setembro
Afixação dos resultados
23 de setembro
Reclamações
23 a 26 de setembro
Matriculas e Inscrições
26 de setembro a 7 de outubro
3ª Época (vagas sobrantes)
Apresentação das Candidaturas
23 de setembro a 7 de outubro
Afixação dos resultados
20 de outubro
Reclamações
20 a 21 de outubro
Matriculas e Inscrições
21 a 31 de outubro

De acordo com esta nova Portaria os requerimentos de reingresso e de mudança de par instituição/curso no decurso do ano letivo só podem ser aceites a título excecional, por motivos especialmente atendíveis, e desde que existam condições para a integração académica dos requerentes.

  • Documento de identificação
  • Fotografia tipo passe
  • Ficha ENES relativa ao ano em que ingressou na instituição/curso
  • Original ou cópia autenticada do documento comprovativo da matrícula no estabelecimento de ensino de origem (com exceção dos candidatos da UPT) (*)

Se desejar solicitar equivalências:

  • Pedido de reconhecimento e creditação de competências, (Requerimento de Reconhecimento e Creditação de Competências) de acordo com regulamento em vigor (incluindo conteúdos programáticos e cargas horárias das disciplinas às quais se pretenda solicitar equivalência e certificado discriminativo com as classificações obtidas).
  • Certidão discriminada das unidades curriculares realizadas na instituição de ensino de origem (*)

(*) Estes documentos devem ser autenticados de acordo com legislação em vigor (Decreto-lei 28 de 13/03/2000).

  • Documento de identificação;
  • Fotografia tipo passe;
  • Pedido de reconhecimento e creditação de competências (Requerimento de Reconhecimento e Creditação de Competências), de acordo com regulamento em vigor, caso pretenda solicitar equivalências a outras competências que não as adquiridas no curso para o qual reingressa.

Os regimes especiais destinam-se aos estudantes que reúnam condições habilitacionais e pessoais específicas, identificadas em cada um dos regimes abaixo descritos, tratando-se de uma forma de acesso autónoma, distinta do Concurso institucional  e dos Concursos especiais.

A entrega da candidatura é efetuada, exclusivamente, de forma presencial, junto dos Gabinetes de Acesso ao Ensino Superior (GAES)ou, por via diplomática, de acordo com o regime especial a que o estudante se candidata, sendo necessário:

Boletim de candidatura – Assinado pelo estudante. Se o estudante for menor de idade o boletim deve ser assinado pelo titular do poder paternal ou tutor.

  • Documento de identificação/Cartão do Cidadão/Passaporte/Título de Residência, ou outros documentos oficiais, legalmente admissíveis;
  • Documento comprovativo da prévia anuência da Universidade Portucalense;
  • Documentação específica exigida para cada candidato dos regimes especiais

Calendário dos regimes especiais

O prazo de candidatura decorre num período único, de acordo com o calendário aprovado por despacho do Diretor-Geral da DGES.

Decreto-Lei nº 393-A/99, de 2 de outubro Regula os regimes especiais de acesso e ingresso no ensino superior
Portaria nº 854-B/99, de 4 de outubro Regulamento dos regimes especiais de acesso ao ensino superior
Decreto nº 1/97, de 03 de janeiro Convenção relativa ao estatuto das escolas europeias
Decreto-Lei nº 272/2009, de 1 de outubro Estabelece as medidas específicas de apoio ao desenvolvimento do desporto de alto rendimento e procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 393-A/99, de 2 de outubro

Titulares de Cursos de Dupla Certificação de Ensino Secundário e Cursos Artísticos Especializados

De acordo com o Decreto-Lei nº 11/2020 (https://dre.pt/application/conteudo/131016733), a Universidade Portucalense admite a concurso especial os candidatos titulares dos cursos de dupla certificação do ensino secundário e cursos artísticos especializados (diplomados de vias profissionalizantes).

Formulário de inscrição em prova

Calendário das Provas 2022/2023

1ª Fase
Inscrição para as provas
23 de maio a 4 de julho
Sessão de Preparação
6 de julho (10:00h)
Prova escrita
8 de julho (10:00h)
Resultados
11 de julho
Reclamações
11 e 12 de julho
2ª Fase
Inscrição para as provas
1 de agosto a 31 de agosto
Sessão de Preparação
6 de setembro (10:00h)
Prova escrita
12 de setembro (10:00h)
Resultados
15 de setembro
Reclamações
15 e 16 de setembro
3ª Fase
Inscrição para as provas
12 de setembro a 16 de setembro
Sessão de Preparação
20 de setembro (10:00h)
Prova escrita
26 de setembro (10:00h)
Resultados
30 de setembro
Reclamações
30 de setembro a 3 de outubro

  • Documento de identificação
  • Documento comprovativo da titularidade do Curso de Dupla Certificação de Nível Secundário ou de Curso Artístico Especializado.
  • Declaração sob compromisso de honra em como se encontra a concluir um curso de via profissionalizante, com indicação de qual a data da conclusão.

Estes documentos devem ser originais ou autenticados de acordo com legislação em vigor (Decreto-lei 28 de 13/03/2000).

Taxa de inscrição nas provas: 92,00 Euros

Só serão consideradas as inscrições em provas, para as quais tiver sido feito o respetivo pagamento.

Meios de pagamento disponíveis:

 

  • Cheque: emitido à ordem da Universidade Portucalense, CRL, fazendo-se acompanhar da identificação do remetente. Morada: Rua Dr António Bernardino de Almeida, nº 541. 4200-072 Porto
  • Na tesouraria da Universidade

O valor do pagamento da inscrição nas provas será deduzido no valor de candidatura, para quem efetivar a candidatura nos prazos indicados.

Podem realizar a candidatura no âmbito dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso os titulares de cursos de dupla certificação e artísticos especializados que se insiram nas áreas de educação e formação (CNAEF) com correspondência às áreas dos 1.º ciclos e mestrado integrado em Arquitetura a que se candidatam, previstas na tabela constante da Deliberação nº 860/2021de 16 de Agosto da CNAES

Os estudantes oriundos de vias profissionalizantes de nível secundário, considerando-se para esse efeito os titulares de:

  • cursos profissionais;
  • cursos de aprendizagem;
  • cursos educação e formação para jovens;
  • cursos de âmbito setorial da rede de escolas do Turismo de Portugal;
  • cursos artísticos especializados de dupla certificação do ensino secundário;
  • cursos artísticos especializados da área da música;
  • Cursos de formação profissional no âmbito do Programa Formativo de Inserção de Jovens da Região Autónoma dos Açores;
  • Cursos de Estado-Membro da União Europeia, legalmente equivalentes ao ensino secundário Português, conferentes de dupla certificação, escolar e profissional, e conferentes do nível 4 de qualificação do Quadro Europeu de Qualificações;
  • Outros cursos não portugueses, legalmente equivalentes ao ensino secundário português, conferentes de dupla certificação, escolar e profissional, nas situações em que os candidatos em causa tenham nacionalidade portuguesa.

Os candidatos deverão realizar, na Universidade Portucalense, uma das Provas de Avaliação de Conhecimentos fixadas para o curso em que pretendem ingressar e que a seguir se apresentam:
1º Ciclo Multimédia e Artes
Desenho
1º ciclo Gestão da Hospitalidade
Inglês ou Português
1º ciclo Marketing
Marketing
1º ciclo Gestão
Economia
1º Ciclo Sistemas de Informação para a Gestão
Matemática
1º ciclo Engenharia Informática
Matemática
1º Ciclo Engenharia e Gestão Industrial
Matemática
1º ciclo Educação Social
Português
1º ciclo Turismo
Inglês ou Português
Mestrado Integrado Arquitetura e Urbanismo
Desenho

A avaliação da candidatura a um ciclo de estudos de licenciatura ou de mestrado integrado implica avaliação da capacidade para a frequência dos mesmos, nos seguintes termos:

  • Ponderação de 50%: classificação final do curso obtido pelo estudante;
  • Ponderação de 20%: classificações obtidas nas provas de avaliação/aptidão;
  • Ponderação de 30%: classificação da prova de ingresso, realizada na Universidade Portucalense.

Na determinação da nota final de candidatura observar-se-á a seguinte fórmula:

NFC = (CFC * 0,5) + (CPF * 0,2) + (CPAC * 0,3)

Em que:
NFC corresponde à Nota Final de Candidatura;
CFC corresponde à Classificação Final do Curso
CPF corresponde à Classificação da Prova Final
CPAC se refere à Classificação das Provas de Avaliação de Conhecimentos

O acesso e ingresso ao abrigo do concurso especial a que se refere o presente artigo depende da obtenção pelo candidato de classificações iguais ou superiores a 95 pontos, na escala de 0 a 200 pontos, em cada um dos elementos de avaliação referidos no parágrafo anterior.

  • 1º ciclo de estudos em Educação Social
  • 1º ciclo de estudos em Engenharia e Gestão Industrial
  • 1º ciclo de estudos em Engenharia Informática
  • 1º ciclo de estudos Gestão
  • 1º ciclo de estudos Gestão da Hospitalidade
  • 1º ciclo de estudos Marketing
  • 1º ciclo de estudos Multimédia e Artes
  • 1º ciclo de estudos Sistemas de Informação para a Gestão
  • 1º ciclo de estudos Turismo
  • Mestrado Integrado Arquitetura e Urbanismo

Calendário das Candidaturas

1ª Fase
Candidatura à 1º fase
6 de junho a 18 de julho
Afixação dos resultados
22 de julho
Reclamações
22 a 25 de julho
Matriculas e Inscrições
26 a 29 de julho
2ª Fase
Candidatura à 2º fase
1 de agosto a 22 de setembro
Afixação dos resultados
23 de setembro
Reclamações
23 a 24 de setembro
Matriculas e Inscrições
26 a 30 de setembro
3ª Fase
Candidatura à 3º fase
3 de outubro a 7 de outubro
Afixação dos resultados
11 de outubro
Reclamações
11 a 12 de outubro
Matriculas e Inscrições
12 a 16 de outubro

  • Boletim de candidatura
  • Documento de identificação
  • Fotografia recente
Caso o candidato tenha realizado prova de aptidão ou avaliação final, noutra Instituição de Ensino Superior deve apresentar ainda:
  • Documento comprovativo da titularidade da habilitação com que concorre, com indicação da classificação final de curso obtida;
  • Documento comprovativo das classificações obtidas na prova de aptidão ou avaliação final, consoante o curso de que o candidato é titular.
Os candidatos que concorrem com a titularidade do diploma estrangeiro de curso de ensino secundário do respetivo país ou nele obtido, para além dos documentos referidos, devem ainda anexar à sua candidatura:
  • Documento comprovativo da titularidade do curso do ensino secundário obtido no país respetivo com indicação da respetiva classificação final obtida;
  • Declaração, emitida pelos serviços oficiais de educação do país respetivo, atestando que a habilitação secundária de que são titulares é conferente de dupla certificação, escolar e profissional e correspondente ao nível 4 de qualificação do Quadro Europeu de Qualificações, ou certificado de equivalência ao ensino secundário português emitido pela entidade nacional competente;
  • Declaração explicativa da escala de classificações, quando esta seja diferente do sistema português (0-20 valores, nota positiva a partir de10), emitida pela instituição de ensino onde o grau foi obtido
Os documentos referidos, devem ser traduzidos para português ou inglês, sempre que não forem emitidos em português, inglês, francês ou espanhol e visados pelo serviço consular ou apresentados com a aposição da Apostila de Haia pela autoridade competente do Estado de onde é originário o documento.

SUMMER SCHOOL "LOW CODE" | OutSystems

O principal objetivo da Summer School foi fornecer formação nos diferentes aspetos de software “low code” que permite agilizar o processo de desenvolvimento de aplicações web e mobile, com apresentação de conceitos e da resolução de exercícios para uma melhor compreensão das temáticas. Das várias temáticas abordadas destaca-se a modelação de dados, o ciclo de vida de um ecrã, AJAX, Web Services, entre outras.

TESTEMUNHOS

Voltar ao topo