Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo

DURAÇÃO

2 meses

FORMATO

híbrido

VAGAS

15

REGIME

pós-laboral

CURSO

formação aplicada

IDIOMAS

pt

As alterações climáticas são um dos maiores desafios do século XXI à escala global, considerando que o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) prevê um aumento de temperatura global de 0,3−0,7ºC até 2035. Desta forma, espera-se um agravamento dos efeitos resultantes das alterações climáticas, nomeadamente associado a uma maior frequência e severidade de fenómenos climáticos extremos (e.g., secas, cheias, ondas de calor e vagas de frio). Estas modificações têm impactes negativos, diretos e indiretos, nos vários sectores de atividade humana, nomeadamente no setor do turismo e hospitalidade. Para tal, é essencial desenhar propostas para a tomada de decisão, na vigilância ativa e de definição de estratégias de adaptação e mitigação. Note-se que é uma das áreas prioritárias para o Turismo de Portugal.

 

Este curso de formação aplicada pretende fomentar a criação de um grupo de trabalho com interesses na investigação participativa no âmbito temático das alterações climáticas e turismo (grupo de interesse nas alterações climáticas turismo - Gi-ACT). As sessões serão presenciais e síncronas, e assenta na realização de Workshops interativos participativos num sistema híbrido presencial e on-line. Os alunos fora de Portugal poderão participar sempre em regime on-line.

 

Na primeira sessão serão apresentados os objetivos do curso e respetivo funcionamento, bem como os recursos pedagógicos e as abordagens metodológicas. Os estudantes terão oportunidade, nesta primeira sessão, de conhecer a universidade e o trabalho de investigação que tem sido desenvolvido nesta área. Além disso, os interessados podem participar na linha de investigação relacionada com as alterações climáticas e turismo e no final do curso poderão fazer uma publicação em projeto conjunto. É de destacar que serão utilizadas as mais recentes tecnologias de aquisição de dados e análise baseada em Big Data, promovendo-se o uso de ferramentas avançadas de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e tradução para os relatórios que se encontrem a desenvolver no âmbito das instituições, empresas e organizações de origem.

 
Durante a formação será realizado um World Café, que pretende sensibilizar o público em geral para as alterações climáticas e as suas implicações no setor do turismo, medindo boas práticas e identificando estratégias de sensibilização do mercado e dos decisores políticos para esta questão.
Esta formação aplicada contará ainda com uma última sessão presencial ou síncrona no final do curso de apresentação e debate de resultados e de aprendizagens sobre a forma de seminário.

Esta formação é uma novidade em Portugal, uma vez que, de momento, não existem cursos similares. A área tem já trabalho de investigação que domina o estado da arte, têm sido realizados alguns seminários e workshops, mas ainda não há ainda formação que pense o Turismo com mais sustentabilidade e se dedique a problemas e soluções para a adaptação às alterações climáticas, nomeadamente com recurso ao ensino de estratégias de aquisição e manuseamento de dados para facilitar a atuação dentro das organizações e instituições públicas e privadas.

 

Esta formação visa, assim, alertar e sensibilizar para as alterações climáticas junto das organizações público-privadas, dando a conhecer novos métodos e técnicas para a identificação dos riscos e estratégias de mitigação e adaptação. Prevê-se a utilização de tecnologias de informação geográfica, prevendo-se no final realizar uma publicação de projeto conjunto para publicação a nível internacional.

Espera-se habilitar os investigadores, técnicos e profissionais da área para os processos de adaptação e mitigação às alterações climáticas no setor do turismo.

Espera-se contribuir para:

  1. Entender o que são as alterações climáticas.
  2. Identificar as vulnerabilidades atuais e futuras resultantes das alterações climáticas.
  3. Compreender os mecanismos naturais e antrópicos associados às alterações climáticas.
  4. Utilizar novas metodologias e ferramentas de trabalho nas organizações no quadro das alterações climáticas.
  5. Desenvolver uma visão holística dos impactes, problemas e soluções de mitigação, adaptação e resiliência face às alterações climáticas.

Período Letivo:

01 de outubro de 2022 a 01 de dezembro de 2022

 

2 sessões de 2 horas por semana (horário a acordar com os candidatos).

Certificado de frequência de Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo.

As alterações climáticas são um dos maiores desafios do século XXI à escala global, considerando que o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) prevê um aumento de temperatura global de 0,3−0,7ºC até 2035. Desta forma, espera-se um agravamento dos efeitos resultantes das alterações climáticas, nomeadamente associado a uma maior frequência e severidade de fenómenos climáticos extremos (e.g., secas, cheias, ondas de calor e vagas de frio). Estas modificações têm impactes negativos, diretos e indiretos, nos vários sectores de atividade humana, nomeadamente no setor do turismo e hospitalidade. Para tal, é essencial desenhar propostas para a tomada de decisão, na vigilância ativa e de definição de estratégias de adaptação e mitigação. Note-se que é uma das áreas prioritárias para o Turismo de Portugal.

 

Este curso de formação aplicada pretende fomentar a criação de um grupo de trabalho com interesses na investigação participativa no âmbito temático das alterações climáticas e turismo (grupo de interesse nas alterações climáticas turismo - Gi-ACT). As sessões serão presenciais e síncronas, e assenta na realização de Workshops interativos participativos num sistema híbrido presencial e on-line. Os alunos fora de Portugal poderão participar sempre em regime on-line.

 

Na primeira sessão serão apresentados os objetivos do curso e respetivo funcionamento, bem como os recursos pedagógicos e as abordagens metodológicas. Os estudantes terão oportunidade, nesta primeira sessão, de conhecer a universidade e o trabalho de investigação que tem sido desenvolvido nesta área. Além disso, os interessados podem participar na linha de investigação relacionada com as alterações climáticas e turismo e no final do curso poderão fazer uma publicação em projeto conjunto. É de destacar que serão utilizadas as mais recentes tecnologias de aquisição de dados e análise baseada em Big Data, promovendo-se o uso de ferramentas avançadas de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e tradução para os relatórios que se encontrem a desenvolver no âmbito das instituições, empresas e organizações de origem.

 
Durante a formação será realizado um World Café, que pretende sensibilizar o público em geral para as alterações climáticas e as suas implicações no setor do turismo, medindo boas práticas e identificando estratégias de sensibilização do mercado e dos decisores políticos para esta questão.
Esta formação aplicada contará ainda com uma última sessão presencial ou síncrona no final do curso de apresentação e debate de resultados e de aprendizagens sobre a forma de seminário.

Esta formação é uma novidade em Portugal, uma vez que, de momento, não existem cursos similares. A área tem já trabalho de investigação que domina o estado da arte, têm sido realizados alguns seminários e workshops, mas ainda não há ainda formação que pense o Turismo com mais sustentabilidade e se dedique a problemas e soluções para a adaptação às alterações climáticas, nomeadamente com recurso ao ensino de estratégias de aquisição e manuseamento de dados para facilitar a atuação dentro das organizações e instituições públicas e privadas.

 

Esta formação visa, assim, alertar e sensibilizar para as alterações climáticas junto das organizações público-privadas, dando a conhecer novos métodos e técnicas para a identificação dos riscos e estratégias de mitigação e adaptação. Prevê-se a utilização de tecnologias de informação geográfica, prevendo-se no final realizar uma publicação de projeto conjunto para publicação a nível internacional.

Espera-se habilitar os investigadores, técnicos e profissionais da área para os processos de adaptação e mitigação às alterações climáticas no setor do turismo.

Espera-se contribuir para:

  1. Entender o que são as alterações climáticas.
  2. Identificar as vulnerabilidades atuais e futuras resultantes das alterações climáticas.
  3. Compreender os mecanismos naturais e antrópicos associados às alterações climáticas.
  4. Utilizar novas metodologias e ferramentas de trabalho nas organizações no quadro das alterações climáticas.
  5. Desenvolver uma visão holística dos impactes, problemas e soluções de mitigação, adaptação e resiliência face às alterações climáticas.

Período Letivo:

01 de outubro de 2022 a 01 de dezembro de 2022

 

2 sessões de 2 horas por semana (horário a acordar com os candidatos).

Certificado de frequência de Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo.

Plano de Estudos 2022/23 horas contacto
Adaptação às Alterações Climáticas no Setor do Turismo
20
Plano de Estudos
2022/23
horas
contacto
Adaptação às Alterações Climáticas no Setor do Turismo
20

As principais linhas de investigação são alterações climáticas e sustentabilidade no setor do turismo.

Helder Lopes

Coordenador da Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo

DTPC/ Departamento de Turismo Património e Cultura

Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo
(helder.lopes@upt.pt)

Helder Lopes

Coordenador da Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo

DTPC/ Departamento de Turismo Património e Cultura

Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo
(helder.lopes@upt.pt)

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

Os destinatários são:
  • Público em geral, com particular relevância para:
    • Investigadores em áreas relacionados com o turismo e com os impactes das alterações climáticas;
    • Estudantes de Mestrado, de Doutoramento e Pós-doutoramento em diversas áreas disciplinares relacionadas com o tema do curso (e.g., Geografia, Turismo, Meteorologia e Climatologia, Planeamento Urbano, Desenvolvimento Sustentável, Arquitetura, Saúde Pública, Saúde Ambiental, Engenharia do Território, Engenharia Civil, Sociologia e Psicologia);
    • Técnicos Superiores da Administração Local (Câmaras Municipais), Organizações e Empresas a trabalharem em departamentos e projetos nas áreas do Turismo, Geografia, Ambiente; Saúde Pública, Urbanismo, Planeamento do Território, Proteção Civil, Engenharia do Território, Engenharia Civil e outras engenharias;
    • Outros profissionais a exercerem funções em áreas de intervenção relacionadas com o tema (e.g., desenvolvimento regional e urbano).

Período de candidaturas:

Até 15 de setembro de 2022

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

Os destinatários são:
  • Público em geral, com particular relevância para:
    • Investigadores em áreas relacionados com o turismo e com os impactes das alterações climáticas;
    • Estudantes de Mestrado, de Doutoramento e Pós-doutoramento em diversas áreas disciplinares relacionadas com o tema do curso (e.g., Geografia, Turismo, Meteorologia e Climatologia, Planeamento Urbano, Desenvolvimento Sustentável, Arquitetura, Saúde Pública, Saúde Ambiental, Engenharia do Território, Engenharia Civil, Sociologia e Psicologia);
    • Técnicos Superiores da Administração Local (Câmaras Municipais), Organizações e Empresas a trabalharem em departamentos e projetos nas áreas do Turismo, Geografia, Ambiente; Saúde Pública, Urbanismo, Planeamento do Território, Proteção Civil, Engenharia do Território, Engenharia Civil e outras engenharias;
    • Outros profissionais a exercerem funções em áreas de intervenção relacionadas com o tema (e.g., desenvolvimento regional e urbano).

Período de candidaturas:

Até 15 de setembro de 2022

DURAÇÃO

2 meses

FORMATO

híbrido

VAGAS

15

REGIME

pós-laboral

CURSO

formação aplicada

IDIOMAS

pt

As alterações climáticas são um dos maiores desafios do século XXI à escala global, considerando que o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) prevê um aumento de temperatura global de 0,3−0,7ºC até 2035. Desta forma, espera-se um agravamento dos efeitos resultantes das alterações climáticas, nomeadamente associado a uma maior frequência e severidade de fenómenos climáticos extremos (e.g., secas, cheias, ondas de calor e vagas de frio). Estas modificações têm impactes negativos, diretos e indiretos, nos vários sectores de atividade humana, nomeadamente no setor do turismo e hospitalidade. Para tal, é essencial desenhar propostas para a tomada de decisão, na vigilância ativa e de definição de estratégias de adaptação e mitigação. Note-se que é uma das áreas prioritárias para o Turismo de Portugal.

 

Este curso de formação aplicada pretende fomentar a criação de um grupo de trabalho com interesses na investigação participativa no âmbito temático das alterações climáticas e turismo (grupo de interesse nas alterações climáticas turismo - Gi-ACT). As sessões serão presenciais e síncronas, e assenta na realização de Workshops interativos participativos num sistema híbrido presencial e on-line. Os alunos fora de Portugal poderão participar sempre em regime on-line.

 

Na primeira sessão serão apresentados os objetivos do curso e respetivo funcionamento, bem como os recursos pedagógicos e as abordagens metodológicas. Os estudantes terão oportunidade, nesta primeira sessão, de conhecer a universidade e o trabalho de investigação que tem sido desenvolvido nesta área. Além disso, os interessados podem participar na linha de investigação relacionada com as alterações climáticas e turismo e no final do curso poderão fazer uma publicação em projeto conjunto. É de destacar que serão utilizadas as mais recentes tecnologias de aquisição de dados e análise baseada em Big Data, promovendo-se o uso de ferramentas avançadas de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e tradução para os relatórios que se encontrem a desenvolver no âmbito das instituições, empresas e organizações de origem.

 
Durante a formação será realizado um World Café, que pretende sensibilizar o público em geral para as alterações climáticas e as suas implicações no setor do turismo, medindo boas práticas e identificando estratégias de sensibilização do mercado e dos decisores políticos para esta questão.
Esta formação aplicada contará ainda com uma última sessão presencial ou síncrona no final do curso de apresentação e debate de resultados e de aprendizagens sobre a forma de seminário.

Esta formação é uma novidade em Portugal, uma vez que, de momento, não existem cursos similares. A área tem já trabalho de investigação que domina o estado da arte, têm sido realizados alguns seminários e workshops, mas ainda não há ainda formação que pense o Turismo com mais sustentabilidade e se dedique a problemas e soluções para a adaptação às alterações climáticas, nomeadamente com recurso ao ensino de estratégias de aquisição e manuseamento de dados para facilitar a atuação dentro das organizações e instituições públicas e privadas.

 

Esta formação visa, assim, alertar e sensibilizar para as alterações climáticas junto das organizações público-privadas, dando a conhecer novos métodos e técnicas para a identificação dos riscos e estratégias de mitigação e adaptação. Prevê-se a utilização de tecnologias de informação geográfica, prevendo-se no final realizar uma publicação de projeto conjunto para publicação a nível internacional.

Espera-se habilitar os investigadores, técnicos e profissionais da área para os processos de adaptação e mitigação às alterações climáticas no setor do turismo.

Espera-se contribuir para:

  1. Entender o que são as alterações climáticas.
  2. Identificar as vulnerabilidades atuais e futuras resultantes das alterações climáticas.
  3. Compreender os mecanismos naturais e antrópicos associados às alterações climáticas.
  4. Utilizar novas metodologias e ferramentas de trabalho nas organizações no quadro das alterações climáticas.
  5. Desenvolver uma visão holística dos impactes, problemas e soluções de mitigação, adaptação e resiliência face às alterações climáticas.

Período Letivo:

01 de outubro de 2022 a 01 de dezembro de 2022

 

2 sessões de 2 horas por semana (horário a acordar com os candidatos).

Certificado de frequência de Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo.

As alterações climáticas são um dos maiores desafios do século XXI à escala global, considerando que o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) prevê um aumento de temperatura global de 0,3−0,7ºC até 2035. Desta forma, espera-se um agravamento dos efeitos resultantes das alterações climáticas, nomeadamente associado a uma maior frequência e severidade de fenómenos climáticos extremos (e.g., secas, cheias, ondas de calor e vagas de frio). Estas modificações têm impactes negativos, diretos e indiretos, nos vários sectores de atividade humana, nomeadamente no setor do turismo e hospitalidade. Para tal, é essencial desenhar propostas para a tomada de decisão, na vigilância ativa e de definição de estratégias de adaptação e mitigação. Note-se que é uma das áreas prioritárias para o Turismo de Portugal.

 

Este curso de formação aplicada pretende fomentar a criação de um grupo de trabalho com interesses na investigação participativa no âmbito temático das alterações climáticas e turismo (grupo de interesse nas alterações climáticas turismo - Gi-ACT). As sessões serão presenciais e síncronas, e assenta na realização de Workshops interativos participativos num sistema híbrido presencial e on-line. Os alunos fora de Portugal poderão participar sempre em regime on-line.

 

Na primeira sessão serão apresentados os objetivos do curso e respetivo funcionamento, bem como os recursos pedagógicos e as abordagens metodológicas. Os estudantes terão oportunidade, nesta primeira sessão, de conhecer a universidade e o trabalho de investigação que tem sido desenvolvido nesta área. Além disso, os interessados podem participar na linha de investigação relacionada com as alterações climáticas e turismo e no final do curso poderão fazer uma publicação em projeto conjunto. É de destacar que serão utilizadas as mais recentes tecnologias de aquisição de dados e análise baseada em Big Data, promovendo-se o uso de ferramentas avançadas de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e tradução para os relatórios que se encontrem a desenvolver no âmbito das instituições, empresas e organizações de origem.

 
Durante a formação será realizado um World Café, que pretende sensibilizar o público em geral para as alterações climáticas e as suas implicações no setor do turismo, medindo boas práticas e identificando estratégias de sensibilização do mercado e dos decisores políticos para esta questão.
Esta formação aplicada contará ainda com uma última sessão presencial ou síncrona no final do curso de apresentação e debate de resultados e de aprendizagens sobre a forma de seminário.

Esta formação é uma novidade em Portugal, uma vez que, de momento, não existem cursos similares. A área tem já trabalho de investigação que domina o estado da arte, têm sido realizados alguns seminários e workshops, mas ainda não há ainda formação que pense o Turismo com mais sustentabilidade e se dedique a problemas e soluções para a adaptação às alterações climáticas, nomeadamente com recurso ao ensino de estratégias de aquisição e manuseamento de dados para facilitar a atuação dentro das organizações e instituições públicas e privadas.

 

Esta formação visa, assim, alertar e sensibilizar para as alterações climáticas junto das organizações público-privadas, dando a conhecer novos métodos e técnicas para a identificação dos riscos e estratégias de mitigação e adaptação. Prevê-se a utilização de tecnologias de informação geográfica, prevendo-se no final realizar uma publicação de projeto conjunto para publicação a nível internacional.

Espera-se habilitar os investigadores, técnicos e profissionais da área para os processos de adaptação e mitigação às alterações climáticas no setor do turismo.

Espera-se contribuir para:

  1. Entender o que são as alterações climáticas.
  2. Identificar as vulnerabilidades atuais e futuras resultantes das alterações climáticas.
  3. Compreender os mecanismos naturais e antrópicos associados às alterações climáticas.
  4. Utilizar novas metodologias e ferramentas de trabalho nas organizações no quadro das alterações climáticas.
  5. Desenvolver uma visão holística dos impactes, problemas e soluções de mitigação, adaptação e resiliência face às alterações climáticas.

Período Letivo:

01 de outubro de 2022 a 01 de dezembro de 2022

 

2 sessões de 2 horas por semana (horário a acordar com os candidatos).

Certificado de frequência de Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo.

Plano de Estudos 2022/23 horas contacto
Adaptação às Alterações Climáticas no Setor do Turismo
20
Plano de Estudos
2022/23
horas
contacto
Adaptação às Alterações Climáticas no Setor do Turismo
20

As principais linhas de investigação são alterações climáticas e sustentabilidade no setor do turismo.

Helder Lopes

Coordenador da Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo

DTPC/ Departamento de Turismo Património e Cultura

Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo
(helder.lopes@upt.pt)

Helder Lopes

Coordenador da Formação Aplicada em Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo

DTPC/ Departamento de Turismo Património e Cultura

Adaptação às Alterações Climáticas no setor do Turismo
(helder.lopes@upt.pt)

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

Os destinatários são:
  • Público em geral, com particular relevância para:
    • Investigadores em áreas relacionados com o turismo e com os impactes das alterações climáticas;
    • Estudantes de Mestrado, de Doutoramento e Pós-doutoramento em diversas áreas disciplinares relacionadas com o tema do curso (e.g., Geografia, Turismo, Meteorologia e Climatologia, Planeamento Urbano, Desenvolvimento Sustentável, Arquitetura, Saúde Pública, Saúde Ambiental, Engenharia do Território, Engenharia Civil, Sociologia e Psicologia);
    • Técnicos Superiores da Administração Local (Câmaras Municipais), Organizações e Empresas a trabalharem em departamentos e projetos nas áreas do Turismo, Geografia, Ambiente; Saúde Pública, Urbanismo, Planeamento do Território, Proteção Civil, Engenharia do Território, Engenharia Civil e outras engenharias;
    • Outros profissionais a exercerem funções em áreas de intervenção relacionadas com o tema (e.g., desenvolvimento regional e urbano).

Período de candidaturas:

Até 15 de setembro de 2022

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

1 PRESTAÇÃO

250€

2 PRESTAÇÕES

125€

Os destinatários são:
  • Público em geral, com particular relevância para:
    • Investigadores em áreas relacionados com o turismo e com os impactes das alterações climáticas;
    • Estudantes de Mestrado, de Doutoramento e Pós-doutoramento em diversas áreas disciplinares relacionadas com o tema do curso (e.g., Geografia, Turismo, Meteorologia e Climatologia, Planeamento Urbano, Desenvolvimento Sustentável, Arquitetura, Saúde Pública, Saúde Ambiental, Engenharia do Território, Engenharia Civil, Sociologia e Psicologia);
    • Técnicos Superiores da Administração Local (Câmaras Municipais), Organizações e Empresas a trabalharem em departamentos e projetos nas áreas do Turismo, Geografia, Ambiente; Saúde Pública, Urbanismo, Planeamento do Território, Proteção Civil, Engenharia do Território, Engenharia Civil e outras engenharias;
    • Outros profissionais a exercerem funções em áreas de intervenção relacionadas com o tema (e.g., desenvolvimento regional e urbano).

Período de candidaturas:

Até 15 de setembro de 2022

Voltar ao topo