Como chegar
|
Contactos

Newsletter DTPC, abril de 2015

Editorial

O Futuro do Departamento de Turismo, Património e Cultura

 

 

Isabel Freitas 

Diretora do Departamento DTPC

 

 

O Departamento de Turismo, Património e Cultura irá continuar a trabalhar em campos já estabelecidos no seu plano de atividades dado a conhecer em maio, com incidência especial na relação que o Turismo desenvolve com a Cultura, o Património e com o Território.

Olhamos o futuro fazendo um balanço do passado e melhorando as práticas com base nesse olhar. Congratulamo-nos pelo facto de, desde já apontar, que todas as metas assumidas para o departamento têm sido sempre suplantadas. O número de alunos ultrapassou muito o previsto; o número de projetos de investigação submetidos irá duplicar o estipulado, senão triplicar; o grau de satisfação dos nossos alunos pelo nosso acompanhamento atingiu um grau muito elevado, está no nível máximo, o que nos tem motivado e incentivado a ser cada vez melhores. 

Como referi, o nosso projeto científico assenta no território com particular atenção para o tópico território e cidades criativos, espaços que se autoanalisam de forma criativa e inovadora, que coabitam com a autenticidade patrimonial e histórica, onde o turismo, a cultura e o desenvolvimento regional convivem e criam novas experiências. Que território? Aquele onde nos encontramos: o Porto, cidade extensão de uma paisagem mais vasta - o Douro. Espaços Património Mundial, com forte presença do turismo, com uma oferta de qualidade excecional, representativos de Portugal na Europa e no Mundo. Este é o espaço por excelência onde nos movemos, onde desenvolvemos os nossos projetos e onde colocamos os nossos saberes à disposição. É daqui que partimos para novas descobertas. Brasil, Angola, Cabo Verde e a Europa são já nossos conhecidos, por aqui as oportunidades têm surgindo e, com toda a certeza, iremos desenvolver uma excelente dinâmica de formação, de investigação e de projetos.

Com uma equipa de docentes e investigadores empreendedores com forte alcance externo, acreditamos fortemente no futuro e caminhamos por uma larga estrada onde os encontros são a constante.

 

 

Opinião

Uma Garrafa, uma descoberta!

 

Fernando Melo

Jornalista e crítico de vinhos

 

Quando há cerca de 15 anos inaugurei a secção de enoturismo na Revista de Vinhos, ouvi muitas vezes o comentário de que era coisa que não existia, que jamais existiria uma rede consistente de locais, para visitar, provar, comer e comprar, para além da meia dúzia de unidades, e acima de tudo que o assunto em si mesmo era pouco interessante.

Comecei então um périplo nacional, batendo à porta de produtores, restaurantes e unidades hoteleiras para reunir informação diversa e provar os vinhos disponíveis. É importante dizer que estes eram francamente poucos e nada tinham a ver com a reputação estelar que vieram a angariar. 

O pico de popularidade dos vinhos do Porto Vintage 1997 deu-se entre 1999 e 2001, inflamando o peito e a bolsa de investidores, o Douro atingiu fama mundial e o Alentejo conquistou os mais exigentes enófilos, posição de preferência que de certa forma ainda mantém. Visitava-se uma adega sem saber exatamente ao que se ia, fascinava a modernidade, impunha respeito a higiene e provar com a presença dos enólogos ou proprietários representava uma aproximação grande à realidade local, vista à lupa, culminando na inefável compra de algumas garrafas para levar para casa. À mesa, família e amigos ouviriam as histórias que tinham para contar, garrafas e pessoas.

O que aconteceu depois foi notável. Se hoje as diferentes regiões têm consciência e conhecimento das suas diferenças, valores e vantagens competitivas, muito devem ao fluxo constante de pessoas, aos investimentos feitos e à ponte que apesar da complexidade se estabeleceu entre o vinho, turismo e planeamento regional. O "lugar onde" terá presença assegurada sempre que uma garrafa de bom vinho for partilhada, em qualquer parte do mundo. Claro que há muito ainda por fazer, mas é inevitável maravilhar-nos com o longe que já se chegou!

 


Destaques

Colaboração com a Universidade de Barcelona

 

 

No passado dia 13 de janeiro, Jordi Tresseras Juan da Universidade de Barcelona visitou a Universidade Portucalense com o objetivo de se criar uma parceria entre o Departamento de Património, Turismo e Cultura (DTPC) e o Laboratório de Património e Turismo Cultural da Universidade de Barcelona e da rede IBERTUR.

De referir que Jordi Tresseras Juan, em conjunto com Josefina Salvado e Fábio Carbone, visitou a Loja Interativa de Turismo do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, onde se promovia a “XXIV Feira do Fumeiro e Presunto de Barroso”. Os três especialistas desafiaram a criação de uma rota gastronómica europeia.

 

Lingua e Cultura Mirandesas em debate

 

 

No seguimento da estratégia do DTPC de realçar os produtos culturais portugueses e os seus atores de construção e de disseminação, realizou-se a 3 de março o seminário o “Interculturalidade e Turismo: o caso da Língua e Cultura Mirandesas”.

Artur Nunes (Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro), Alfredo Cameirão (Vice-Presidente da Associação da Língua e Cultura Mirandesas), Ana Raquel Aguiar (Docente da Universidade Portucalense) e Alcides Meirinhos (Membro fundador da Associação da Língua e Cultura Mirandesas) foram os oradores convidados. Esteve também presente. José António Nobre, escultor e pintor autor de várias obras que retratam Miranda do Douro.

Neste seminário, Artur Nunes, Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro, apresentou estratégias de desenvolvimento turístico da região, partindo do interesse que esta região poderá apresentar com base no seu património imaterial.

Este seminário pretendeu homenagear Amadeu Ferreira, um dos impulsionadores da autonomia e difusão da língua mirandesa.

A iniciativa enquadra-se na estratégia do DTPC de aproximação ao nordeste transmontano, dando relevo à língua e cultura mirandesas numa perspetiva de interculturalidade, integrando Portugal e Espanha nesse processo. 

.

 

Novo curso: Short Master em Cultura do Vinho e Enoturismo

 

 

Estão abertas as candidaturas ao Short Master em Cultura do Vinho e Enoturismo, quando o Turismo e a Cultura do Vinho na Economia e no Desenvolvimento Regional assume um papel, cada vez mais, importante

O curso é apoiado por um corpo docente de empreendedores e profissionais experientes do setor, baseia-se em conceitos de sustentabilidade dos negócios e dos territórios e privilegia visitas técnicas e ações de “benchmarking”. 

A formação irá decorrer entre 2 de maio e 31 de julho, em horário pós-laboral, à sexta-feira, entre as 18h e as 22h30, e ao sábado, entre as 9h e as 13h30.

Para mais informações contactar a coordenadora do curso Josefina Salvado (josefinas@upt.pt) ou o nosso Gabinete de Ingresso através do número verde 800 27 02 01 ou do endereço de email ingresso@upt.pt

 

 

Estudantes de Turismo visitam BTL

 

 

Os estudantes de Turismo visitaram a Feira Internacional de Turismo de Lisboa – BTL, no passado dia 27 de fevereiro, onde contactaram com os diversos agentes do mercado, expondo-os aos diferentes tipos de produtos turísticos e à forma como estes são promovidos e comercializados.

Já no dia 25 de fevereiro visitaram a loja interativa do Aeroporto Francisco de Sá Carneiro. A apresentação da loja permitiu aos estudantes contactarem com um conjunto de mesas de toque e “videowall” que incluem informação relativa a eventos culturais e turísticos da região do Norte, bem como uma sala com tecnologia 3D, em que o turista pode contactar com algumas atividades que poderá experimentar durante a sua visita à região.

 

CCR restaura altar na Igreja da Vitória

 

A Clínica de Conservação e Restauro restaurou o altar da Igreja da Vitória. Trata-se de uma mesa de altar em madeira com frente, laterais e abas laterias com elementos decorativos em talha com revestimento de folha de ouro.

A intervenção teve como base o respeito pelos valores artístico e histórico que a peça representa, sublinhando que todas as técnicas e métodos foram selecionados no respeito em relação aos materiais originais.

A proposta de tratamento visou recuperar a leitura do objeto. Numa primeira fase, foram realizados os normais tratamentos de limpeza mecânica para eliminar toda a sujidade superficial, limpeza física com o objetivo de eliminar a sujidade incrustada assim como os adesivos e limpeza química de forma a eliminar todas os repintes. Realizaram-se, ainda, tratamentos de consolidação de suporte e de fixação da camada de preparação.

Seguiu-se a integração volumétrica das perdas de suporte nas zonas inferiores, e das camadas de preparação nas zonas das várias fendas, seguindo-se o respetivo tratamento cromático. Nos frisos, superior e inferior, a integração cromática foi realizada através da aplicação de folha de ouro.

 

Seminário Inovação no Turismo

 

 

 

No dia 12 de fevereiro, a Universidade Portucalense foi palco de um seminário que recebeu cerca de 400 participantes, entre os quais alunos, docentes e profissionais do setor do Turismo para debater as questões relacionadas com “Inovação no Turismo”.

Assim, em pleno século XXI, o desafio imposto ao setor é intenso, exigindo, portanto, que os estudantes desta área desenvolvam competências para participar e interagir num mundo global, altamente competitivo, em que a inovação constitui um aspeto central, enquanto elemento diferenciador dos negócios e do aumento da competitividade dos destinos turísticos.

Foi neste contexto que docentes e profissionais abordaram as recentes tendências e dinâmicas do Turismo, apresentando alguns exemplos de boas práticas de empresas e organizações.

 

Colégio de Nossa Senhora da Paz visita Clínica de Conservação e Restauro

 

 

Os alunos do 8.º ano do Colégio de Nossa Senhora da Paz visitaram a Clínica de Conservação e Restauro com Márcia Anjo, docente de História da Arte e da Cultura. Foi uma oportunidade para testar e contactar com o restauro de obras de arte. Afinal, é com uma intervenção cuidada que as obras de arte mantêm o seu valor.

 

Tomada de posse da Reitoria e Direções de Departamento

 

 

 

O reitor Alfredo Marques e os vice-reitores Paula Morais e José Caramelo Gomes tomaram posse no dia 25 de março para um mandato de quatro anos. A equipa reitoral tem como missão de "colocar a Universidade Portucalense na linha da frente do ensino e da investigação".

No mesmo dia tomaram posse os Diretores de Departamento. A Doutora Isabel Vaz de Freitas tomou posse como diretora do Departamento de Turismo, Património e Cultura.

Assim, estamos plenamente conscientes de que nos esperam quatro anos de muito trabalho, mas a motivação, o empenho e a vontade de ultrapassar limites constituem as valências dos docentes do departamento.    

Fica, portanto, o compromisso de, acima de tudo, formar profissionais de qualidade, aptos a conquistar um lugar no nosso mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

 

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.